5 Dicas para vender cursos online mais que água no deserto

Receba nossas novidades
Newsletter
Como vender cursos online com poucos recursos

Se você é um professor, especialista em alguma coisa ou simplesmente entende muito de um assunto, fique atento! No Brasil, só no ano de 2020, a busca por cursos online cresceu em 130%, e vender cursos online nunca pareceu tão atrativo! Essa pode ser a melhor opção se você busca complementar sua renda ou ingressar nesse mercado.

Acompanhando esse texto, você vai descobrir dicas preciosas para começar a vender cursos online e detalhes sobre plataformas de hospedagem que se destacam no mercado!

Vamos lá!

5 dicas para vender cursos online

  1. Mapeie seu público-alvo
  2. Produza conteúdo de qualidade
  3. Tenha uma landing page
  4. Disponibilize materiais gratuitos
  5. Invista em anúncios pagos
  6. Busque reter e engajar alunos

1) Mapeie seu público-alvo

Mesmo que você seja iniciante na área de vendas e leu pouco sobre o assunto, já deve ter percebido que dificilmente um produto pode ser vendido para qualquer público. Ainda que a Coca-Cola seja uma gigante do mercado, existem pessoas que a marca não alcança, como aquelas que investem na saúde corporal, por exemplo.

Se você quer começar a vender cursos online, antes de tudo deve entender para quem você vai vender. Ou, mais especificamente, quem quer comprar o seu curso.

Nesse quesito, segmentar o mercado (dividi-lo em segmentos e públicos semelhantes) e utilizar personas (personagens fictícios que representam um cliente ideal) ajuda a saber para que lado direcionar os esforços e a trabalhar de maneira mais estratégica.

2) Produza conteúdo de qualidade

Redes sociais alcançam muitas pessoas em pouco tempo, não existe melhor canal para vender cursos online que esse! Apresentar dados expressivos, ter uma identidade visual forte e conteúdo de qualidade ajuda a atrair mais alunos.

Mas tome cuidado, cada rede social possui uma linguagem diferente. É importante adaptar o conteúdo que você quer postar de acordo com essa linguagem.

Essas dicas simples e poderosas fazem parte do marketing de conteúdo. Falando de maneira simples, o marketing de conteúdo se preocupa em criar e entregar ao cliente assuntos de interesse dele.

A vantagem dessa estratégia de marketing está na atuação de mão dupla: além de manter um canal de comunicação, também funciona para atrair alunos.

E aí as apostas podem ser altas e variadas, como manter um blog, gerar interações no Instagram, ter um site bem informativo, produzir vídeos curtos para o YouTube e por aí vai.

3) Tenha uma landing page

Landing page, ou, em termos técnicos, “página de captura”, é uma página onde você pode fisgar um aluno ou cliente. Já explicamos como evoluir esse quesito com nossas 11 dicas para melhorar a captação de alunos.

De modo geral, elas funcionam como um espaço de troca: a página oferece um material rico (e-book, webinar, aula introdutória) em troca dos dados da pessoa (nome, e-mail, número do celular).

O mais interessante é que o material só é disponibilizado depois que os campos são preenchidos. Dessa forma, o vendedor garante a viabilidade de estabelecer uma comunicação, como enviar e-mail e convites para os cursos, e já adianta uma amostra grátis do que o aluno pode obter com a compra.

Leia também: como divulgar um curso com as ferramentas certas e alcançar mais pessoas!

4) Disponibilize materiais gratuitos

Nessa linha de oferecer amostras grátis, também é preciso pensar nisso como uma estratégia de marketing, uma degustação prévia do que você tem a oferecer.

Webinars, videoaulas, e-books, templates, planilhas, tudo isso faz parte do material de um curso. Assim como falamos antes, sobre marketing de conteúdo, oferecer esses materiais faz brilhar os olhos dos interessados.

Essa estratégia é importante porque dá uma ideia de como as coisas funcionam. Não é raro um aluno deixar de adquirir um curso por não saber nada dele, e isso pode ser o “empurrãozinho” que ele precisa para decidir realizar a compra.

E não pense que esse material serve só ao aluno. Falar com propriedade sobre o assunto e ter materiais que demonstram isso torna você uma referência na sua área de ensino.

5) Invista em anúncios pagos

Ferramentas de anúncio pago estão presentes em todos os lugares da internet. Google Ads, Facebook Ads e Instagram Ads são apenas alguns grandes exemplos.

Essas ferramentas geralmente permitem estabelecer campanhas de marketing personalizáveis, desde o preço ao conteúdo, e ajudam a mapear o público-alvo e seu comportamento através de relatórios.

Mas entenda que esse tipo de anúncio não se resume a pagar e conseguir clientes. Muito pelo contrário! Dentre os anúncios pagos, aqueles com melhor qualidade serão os mais vistos. O ideal é combinar essas ferramentas com técnicas de SEO, por exemplo, para alcançar melhores resultados.

6) Busque reter e engajar alunos

Se você é novo nessa história de venda e marketing, saiba de antemão que: é mais fácil (e barato) manter um aluno do que conquistar alunos novos.

Não importa se você já tem uma boa quantidade deles ou ainda está conquistando os primeiros, motivar os alunos a concluir o curso e a continuar estudando traz benefícios tanto para você quanto para eles.

E se o aluno já está retido (conquistado), não deixe o ânimo esfriar, existem várias formas de promover o engajamento. Duas que funcionam muito bem na área educativa é a gamificação e as trilhas de aprendizagem.

Enquanto a gamificação une o universo educativo com os jogos, sejam eles simples puzzles ou coisas mais elaboradas, as trilhas de aprendizagem descrevem um percurso de formação a ser executado pelo aluno. Tornar essas trilhas personalizáveis pode ser ainda mais atrativo aos alunos.

Dividir o conteúdo em etapas, oferecer módulos separados e cursos que se complementam permite que o aluno seja agente do seu próprio aprendizado.

Também é ideal oferecer um canal de comunicação mesmo após a conclusão. Vender cursos online acontece antes, durante e depois do curso em si. Ser aberto a dúvidas, solicitar sugestões e oferecer suporte a todo momento faz com que o aluno confie em você.

Plataformas para vender cursos online

Hospedar seu curso em plataformas é uma forma de poupar estresse e não precisar recorrer a programadores. Além de ser um portal de acesso aos cursos, elas facilitam muitas burocracias, como pagamentos e emissão de certificados, que costumam pesar muito na hora da escolha.

Pensando na praticidade, separamos uma lista com indicações para ajudar você a vender cursos online. Confira!

1) Twygo

O Twygo é uma plataforma completa que atende qualquer demanda educativa. Para citar algumas vantagens, é possível hospedar e gerenciar cursos completos, acompanhar o desempenho dos alunos, integrar sistemas de pagamento online e emitir certificados dentro do próprio portal.

Para deixar o seu negócio ainda mais personalizado, as opções oferecidas envolvem ter um domínio próprio, escolher as cores das páginas e até anexar um logotipo.

Acreditar fielmente na praticidade e na qualidade do ensino, a qualquer hora e lugar, é um dos valores do Twygo. Por isso, um grande diferencial é a responsividade. Seja em vídeo, áudio ou texto, o conteúdo se adapta a qualquer dispositivo! Tudo isso com o objetivo de oferecer consistência e segurança tanto ao aluno quanto ao tutor.

2) Sapium

Essa é uma plataforma pequena ainda, mas com bons atrativos. Dentre eles, a hospedagem de cursos sem um número específico de alunos por sala e a disponibilização de um espaço de comunidade, para que tutores e alunos possam se comunicar.

Ainda que os recursos oferecidos pela Sapium sejam bem pensados, a marca não possui grande visibilidade no mercado, o que pode atrapalhar o sucesso das vendas de cursos online se um dos quesitos for o renome do portal.

3) Domestika

A Domestika possui foco em oferecer cursos na área de indústria criativa, como design e edição, e a maior vantagem da plataforma é que os cursos possuem legenda em três idiomas: inglês, português e espanhol, o que permite expandir o campo de vendas.

O principal problema do portal gira em torno da disponibilização dos cursos. Alguns usuários sofrem com solicitação ao serviço de suporte devido a falta de praticidade em entregar o conteúdo, mesmo com o pagamento já efetuado.

4) Udemy

A Udemy é uma plataforma popular que contém cursos que vão desde o desenvolvimento pessoal até a área de marketing. Além disso, possui pagamento online e incentiva que qualquer um se disponha a compartilhar o que sabe.

Contudo, a plataforma peca com os preços oferecidos e a disponibilização do material após a compra. É comum encontrar valores trocados no site ou ter que contatar a equipe de suporte para conseguir acessar o conteúdo depois de adquirir o curso.

5) SambaTech

Popular no território nacional, a SambaTech é uma plataforma que conta com dois segmentos: a Samba Play, voltada para produtores de conteúdo, e a Samba Tutor, ideal para instituições de ensino.

Ainda que as equipes de suporte tenham certas dificuldades nos serviços prestados aos usuários, as facilidades são múltiplas, como hospedagem de aulas e cursos sem precisar do auxílio ou contratação de um desenvolvedor de sites.

Julgando pela nossa lista, qual plataforma melhor se encaixa nos objetivos que você quer alcançar?

Se você quer se aprofundar ainda mais no assunto e mandar bem na venda de cursos online, então esse material produzido pelo Twygo e pelo Fleeg pode te ajudar. Nesse e-book, você vai conhecer as ferramentas necessárias para montar um curso e também as melhores técnicas de divulgação. Clique no banner abaixo para acessá-lo gratuitamente!

E-book venda de cursos online

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Comentários
Show Buttons
Share On Facebook
Share On Twitter
Share On Linkedin
Contact us
Hide Buttons