Trilhas de aprendizagem

Com a competitividade do mercado cada vez mais intensa, o jogo é desempatado nos pênaltis – cada detalhe conta muito. Um dos diferenciais entre as empresas concorrentes pode ser o capital humano. Por isso, muitas organizações têm apostado na capacitação de colaboradores como estratégia de desempate através de uma nova metodologia: trilhas de aprendizagem.

Essa metodologia responde a muitas dúvidas que surgem no processo de capacitação: como acomodar os diferentes perfis de colaboradores em um sistema de aprendizagem? Como integrar várias atividades importantes para o desenvolvimento dos funcionários?

Acompanhe o texto e entenda o que são as trilhas de aprendizagem e como aplicá-las na sua organização.

O que são trilhas de aprendizagem?

Trilhas de aprendizagem são sequências de atividades de capacitação que um colaborador deve realizar para obter um determinado conhecimento.

Essa sequência é estabelecida por um gestor e deve conter os requisitos necessários para que o colaborador possa se desenvolver dentro de uma temática específica. Seu objetivo principal é contribuir para o desenvolvimento contínuo do profissional, gerando melhores resultados para a empresa.

Diversos recursos podem ser utilizados nas trilhas de aprendizagem: vídeos, artigos, aulas, livros, games, podcasts, grupos de discussão, questionários, entre outros.

Elas se baseiam na teoria de competências, logo, relacionam conhecimento teórico e prático para alcançar um objetivo final. Assim, a associação entre teoria e prática possibilitará um grande conhecimento final para o aluno. O processo envolvido nas trilhas de aprendizagem não se preocupa apenas com a aquisição do conhecimento, mas também com a pré e a pós aprendizagem, principalmente relacionando-se à aplicação prática do aprendizado.

Isso significa que, ao utilizar trilhas de aprendizagem, o colaborador absorverá o conhecimento e o colocará em prática durante seu desenvolvimento.

Você sabe quais são os tipos de trilhas de aprendizagem?

No que se refere aos modelos de organização dos módulos de aprendizagem (os passos que os alunos completam ao longo da trilha), temos dois tipos de trilhas: as lineares e as agrupadas.

Linear

Nesse modelo, os objetos de aprendizagem são colocados em sequência, sendo que o cumprimento de um é pré-requisito para o início do outro. Assim, o percurso do aluno é direcionado pelo criador da trilha de aprendizagem. O modelo de trilha linear é geralmente adotado quando o assunto precisa de uma sequência determinada para ser entendido.

Leia também  O que é SCORM e como ele funciona

A aprendizagem das operações matemáticas é um exemplo de conteúdo que, para ser entendido, requer uma sequência bem estabelecida pelo instrutor – uma trilha de aprendizagem linear. Se o estudante não tiver o domínio do processo da adição, não dará conta de aprender a subtração, a multiplicação e muito menos a divisão. A aquisição de um conhecimento no modelo linear é ligada a um conhecimento anterior, que serve de sustentação para a construção de um novo.

No esquema a seguir, fica mais fácil entender do que estamos falando:

Trilha de aprendizagem - linear

Os módulos em sequência levam o aluno em direção ao objetivo final, de acordo com o planejamento da trilha e sem desvios.

Agrupado

Quando a trilha de aprendizagem é organizada de forma agrupada, os módulos de aprendizagem não têm uma ordem pré-estabelecida, apenas uma quantidade mínima de módulos a serem concluídos. O aluno tem mais autonomia no seu processo de aprendizagem, e poderá escolher os módulos que julgar mais significativos, a ordem de execução, etc.

Um assunto que tenha várias ramificações pode ser trabalhado com o modelo agrupado, já que não há a necessidade de seguir uma ordem específica. Nessa trilha de aprendizagem, os recursos disponibilizados pelo criador da trilha são selecionados pelos colaboradores. É importante saber que, para esse tipo de organização dar certo, os usuários devem ter uma certa maturidade para saber lidar com a autonomia.

Trilha de aprendizagem - agrupada

Na figura, você pode perceber que os recursos de aprendizagem que compõem os módulos são dispostos de forma aleatória sem seguir uma sequência, possibilitando que o aluno percorra a trilha da maneira que desejar.

Entenda melhor como aplicar isso na prática:

Como aplicar uma trilha de aprendizagem

O primeiro passo para aplicar uma atividade de capacitação através das trilhas de aprendizagem é identificar quais os pontos críticos da sua empresa, ou seja, o que precisa ser fortalecido em termos de capital humano e quais as competências necessárias para a sua organização crescer. Pergunte-se: quais conhecimentos e habilidades meus colaboradores precisam desenvolver?

Para te ajudar a identificar os conhecimentos e habilidades a serem desenvolvidos, temos um post perfeito! Entenda tudo sobre o mapeamento de competências, o processo de reconhecimento das competências que a organização já possui e das que precisam de mais atenção.

Leia também  7 vantagens de utilizar uma Plataforma EAD para vender cursos online

Com os colaboradores em mente é preciso reconhecer, por meio de sondagens, os conhecimentos que eles já têm em relação ao ponto crítico que se deseja fortalecer, antes de definir o que será abordado nas trilhas. Esse exercício de reconhecimento é denominado assessment, e busca evitar treinamentos repetitivos e desnecessários ao agrupar os colaboradores em níveis de conhecimento.

Com isso em mãos, o próximo passo é “quebrar” o conteúdo em questão em pequenas partes. Por exemplo: se você quer formar uma equipe em Marketing, divida esse conteúdo em partes menores (módulos) como:

  • Marketing digital
  • Marketing de produto
  • Outbound marketing

Depois disso, para completar um módulo, é comum solicitar que o participante faça uma prova para certificar que sabe todo o conteúdo e está apto para colocá-lo em prática.

As trilhas de aprendizagem podem ser estruturadas em atividades como seminários, participações em eventos e workshops, mas também podem ser realizadas completamente online: através de uma plataforma EAD.

Trilhas de aprendizagem a distância

A adoção de trilhas de aprendizagem a distância tem se mostrado uma solução prática para quem precisa gerenciar as aprendizagens e o desenvolvimento de seus colaboradores.

Há muitas plataformas EAD com a função de disponibilizar o conhecimento através de uma trilha de aprendizagem. A principal vantagem em adotar esses sistemas é poder contar com um sistema para automatizar o acompanhamento do progresso dos participantes, isso porque eles podem dispor de uma tela com a porcentagem de andamento das atividades e dados estatísticos.

O ensino à distância é uma opção benéfica às empresas também, visto que otimiza recursos (reduz distâncias, custos de deslocamento, tempo e pessoas envolvidas), facilita o acesso, socializa as informações e gera conhecimentos.

Além disso, as plataformas EAD costumam ter uma interface bastante intuitiva e adaptável. Dessa forma o colaborador terá facilidade em administrar suas atividades e ir completando o seu caminho e, é claro: ele poderá ter a flexibilidade de escolher quais conteúdos quer aprender primeiro, equilibrando essas aprendizagens com o tempo disponível.

Por isso, aposte nas trilhas de aprendizagem sem medo, seja ela presencial ou a distância. Se você escolher a distância, adote uma plataforma EAD que seja compatível com as suas necessidades e que tenha todas as funcionalidades que mencionamos anteriormente.

Leia também  Treinamento virtual: saiba mais sobre a modalidade que vai revolucionar os treinamentos na sua empresa

Nesse print, você pode visualizar uma trilha de aprendizagem de vendas no Twygo, nossa plataforma EaD. Os cursos que compõem a trilha são organizados de forma linear, um dependendo do outro:

Trilhas de aprendizagem no Twygo

O Twygo conta com todas as ferramentas necessárias para dar o suporte ideal para você construir o caminho da sua empresa nas trilhas de aprendizagem. Solicite uma demonstração gratuita.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *