Treinamento de integração

Toda nova contratação gera expectativas, tanto da pessoa contratada quanto da empresa que contratou. E para atender essas expectativas, o primeiro passo é introduzir o novo colaborador à realidade da empresa, transmitindo a ele a visão, a missão e os valores da organização. E para isso muitas empresas estruturam um treinamento de integração.

Quer entender melhor como estruturar um treinamento de integração na sua empresa? Então acompanhe! Nesse texto você vai ver:

Mas antes, vamos ter certeza de que estamos na mesma página quanto ao conceito de treinamento de integração:

O que é um Treinamento de Integração?

Treinamento de integração é um procedimento que visa preparar um novo colaborador para iniciar seu trabalho na empresa, transmitindo a ele os valores, a visão e a missão da empresa, além das principais regras e recomendações internas.

Usualmente chamado apenas de “integração”, esse tipo de treinamento pode utilizar variados métodos, técnicas, estratégias e até plataformas para ser colocado em prática. Ele também possui uma curta duração (dificilmente dura mais do que um dia).

Antigamente um treinamento de integração buscava simplesmente mostrar para o colaborador qual seria seu novo posto de trabalho. No entanto, com o tempo percebeu-se que um novo colaborador necessita de uma atenção especial, afinal, ao chegar em uma nova empresa ele pode se sentir perdido, deslocado e até inseguro.

Checklist de Processo de Integração de Colaborador

Mas além de fazer o colaborador se sentir mais parte da empresa, realizar o treinamento de integração ainda pode garantir outros benefícios para a empresa:

4 benefícios de realizar um Treinamento de Integração

1. Senso de competitividade

O colaborador que é apresentado à filosofia da empresa e à visão de mercado do negócio tende a desenvolver mais facilmente um senso de competitividade. Se o colaborador entende qual caminho a empresa está trilhando e onde ela pretende chegar, ele terá mais facilidade em incorporar o espírito competitivo da organização.

2. Melhora no clima organizacional

Muitos problemas internos de relacionamento entre gestão e funcionários se deve ao fato da empresa exigir o que nunca expôs como fundamental. Na prática, empresas podem evitar muitos desses problemas ainda no treinamento de integração, deixando claro quais atitudes e comportamentos ela espera dos novos profissionais.

Leia também  10+ dicas de treinamento para vendas para você garantir a motivação e o alinhamento entre os vendedores

A organização pode, por exemplo, falar sobre questões gerais (como horários, dresscode, uso de celular etc.) e até sobre pontos mais específicos (como forma de cumprimento e participação em atividades coletivas).

3. Aumento de produtividade e resultados

Muitos gestores se queixam de colaboradores que “demoram para engrenar”, mas geralmente o craque que não rende no time é aquele que não sabe o modo de jogo da equipe. Assim, o treinamento de integração é uma forma prática de acelerar a produtividade de seus colaboradores e, consequentemente, os resultados.

Independente da área de atuação, a integração faz diferença: seja com o comercial que entende bem o produto, seja com o líder interno que compreende como as equipes devem agir, seja o operacional que entende o fluxo organizacional. A produtividade e os resultados são elevados!

4. Diminuição da rotatividade

Cada vez mais as empresas têm percebido que a rotatividade (e não a contratação) gera custos para a empresa. Não é o colaborador novo que “atrasa” a empresa, mas a rotatividade que sempre gera a necessidade de uma nova ambientação.

Quando, porém, o novo colaborador é integrado e imerso na realidade do negócio, a chance de ele permanecer na empresa – e continuar dando resultado – é muito maior, diminuindo não apenas a rotatividade de funcionários, mas também fazendo com que a sua motivação aumente.

Treinamento de integração

Como estruturar um Treinamento de Integração em 4 passos simples

Antes de entender quais são os passos para estruturar um treinamento de integração, é importante ter em mente que a empresa não está desenvolvendo apenas uma integração qualquer, mas sim estruturando um processo de treinamento de integração, que será repetido toda vez que um novo colaborador começar na empresa.

Conheça agora mesmo os 4 passos e prepare-se para aplicar em sua empresa!

1. Planeje o conteúdo do treinamento

A lista de conteúdos a serem abordados varia de empresa para empresa, mas os itens abaixo devem indispensavelmente ser apresentados ao colaborador já no treinamento de integração:

  • Apresentar missão, visão e valores de sua empresa.
  • Explicar a cultura da empresa, história e filosofia.
  • Apresentar o organograma da empresa, departamentos, relações de hierarquia e fluxogramas de processos.
  • Explicar cargos e atribuições de líderes e colegas de trabalho.
  • Esclarecer quais as funções da área de Recursos Humanos e quais são atribuições do líder direto da área.
  • Apresentar itens internos como dresscode, respeito a horários, uso de celular e internet e horários de intervalo.
  • Apresentar os benefícios coletivos.
  • Explicar como a empresa se comunica com o funcionário (mural, e-mail, intranet, jornal).
  • Apresentar o programa de plano de carreira.
Leia também  A Importância do Treinamento e Desenvolvimento nas Organizações

Como fazer treinamento de integração

2. Elabore o material de apoio

Todo treinamento de integração tem uma fatia considerável de explicação expositiva, mas nada impede que essa introdução seja mais interativa.

Além da apresentação multimídia com informações que complementam e auxiliam a explicação, é possível criar atividades dinâmicas e interativas que permitam o entendimento na prática de valores, práticas e possibilidades da empresa. O material que vai apoiar o treinamento não precisa (e não deve) ser apenas uma apostila cheia de listas intermináveis.

Também é altamente indicada a criação de um manual do colaborador, que sirva tanto de apoio para o treinamento de integração, como de consulta posterior – mas nunca substituindo o próprio treinamento em si.

3. Organize a aplicação

Há alguns aspectos indispensáveis na organização de qualquer treinamento – inclusive num treinamento de integração. Veja alguns itens que não podem ser deixados de lado:

  • Definir um instrutor que represente a empresa, tenha conhecimento dos valores e da filosofia do negócio e que tenha habilidades de relacionamentos interpessoais para fazer o colaborador se sentir acolhido;
  • Definir se o treinamento será presencial, online ou ambos: o treinamento presencial tem a vantagem de gerar integração de forma mais intensa, enquanto que um treinamento online traz inúmeras facilidades como testes de assimilação, economia de tempo de gestores e RH, padronização de conteúdo e redução de custos;
  • Definir um tempo para o treinamento, que pode variar de acordo com a necessidade e tamanho da empresa.

4. Atualize constantemente o conteúdo

Sua empresa muda e a forma como os novos colaboradores chegam também. Nada é mais desanimador do que participar de um treinamento ultrapassado. Afinal, é a partir dos conteúdos disponibilizados que eles irão desenvolver suas atividades e funções na empresa.

Por isso é indispensável que RH, gestão e feedbacks de colaboradores sejam sempre considerados para que o treinamento de integração esteja dentro do contexto da empresa.

Viu como um treinamento de integração pode desenvolver – e muito – o clima organizacional e a produtividade dos colaboradores da empresa? Melhor do que isso é a possibilidade de promover essas práticas de treinamento e desenvolvimento sem gastar horas dos gestores e líderes e ainda reduzindo custos.

Leia também  Como fazer a integração de novos colaboradores? Descubra 7 detalhes indispensáveis

Aproveite para ver mais sobre como ver mais sobre o treinamento de integração em uma plataforma EAD! Chegou a hora de você e sua empresa economizarem tempo e investirem no que realmente importa: pessoas e resultados!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *