Transmissão ao vivo – Enriqueça sua live com 9 dicas infalíveis + sala de aula invertida

Receba nossas novidades
Newsletter
Transmissão ao vivo

Assim como os anos se renovam em ciclos, o sistema de desenvolvimento organizacional evolui. Atualmente, já existem profissionais que buscam administrar seu próprio sistema de capacitação. Esta iniciativa foi facilitada através de plataformas e ferramentas online, como a transmissão ao vivo!

Apesar de ser um método eficiente, a transmissão ao vivo ainda é uma nova realidade. O que buscamos agora é nos aprofundar e fazer o treinamento corporativo da forma mais polida e profissional possível, certo?

Pensando sobre o assunto, fizemos um post com 10 dicas fabulosas para sua transmissão. Além disso, vamos contar um segredo: como enriquecer as lives de capacitação corporativa através da sala de aula invertida.

As aulas síncronas e assíncronas nos treinamentos corporativos

Os novos perfis de profissionais querem investir tempo em ações que realmente agregam e trazem resultados rápidos para a rotina de trabalho. As organizações estão caminhando para se adaptar e por isso incorporam o EAD ao seu modelo de desenvolvimento e treinamento.

O mundo corporativo já percebeu que a realização de treinamentos e consultorias via vídeo são factíveis e podem trazer resultados melhores do que o método convencional, onde os envolvidos se reuniam presencialmente.

Neste cenário, as organizações querem aplicar novos modelos de capacitação. Os que se destacaram foram os formatos síncronos e assíncronos. Entenda um pouco sobre eles:

  • Aulas assíncronas: a comunicação assíncrona é aquela que acontece sem interação em tempo real. Isso permite que as aulas sejam acompanhadas pelo estudante independente do horário ou local. Exemplos: videoaulas e podcasts.
  • Aulas síncronas: são aquelas que acontecem em tempo real, possibilitando a interação entre os participantes. Exemplos: salas de videoconferência e transmissões ao vivo.

Os dois formatos trazem vantagens que podem ser muito valiosas. Além disso, utilizar um modelo híbrido pode trazer excelentes resultados em determinadas situações. Um modelo híbrido permite aulas assíncronas que oferecem conteúdo conceitual, com a possibilidade de preparação prévia. Assim, em outro momento, os alunos podem promover o esclarecimento de dúvidas e prática por meio de aulas síncronas.

Você sabia que o formatos híbrido é muito aplicados em metodologias de aprendizagem, como sala de aula invertida? Entenda melhor e saiba como este conhecimento pode melhorar uma transmissão ao vivo.

Como enriquecer a transmissão ao vivo com a sala de aula invertida?

A sala de aula invertida, ou flipped classroom, é o processo de ensino que instiga o aluno a conhecer a matéria antes da aula. Portanto, o professor não é o único detentor do conhecimento.

Com o auxílio de novas estratégias e tecnologias, é possível compartilhar com os colaboradores um conteúdo previamente preparado. Portanto, é possível ter acesso ao conteúdo curricular básico dos treinamentos para estudar antes da transmissão acontecer.

As plataformas para EAD disponibilizam os conteúdos nos mais diversos formatos.  Por isso, são as melhores opções para possibilitar o estudo antecipado as aulas ao vivo.

Desta forma, o colaborador pode chegar mais preparado na aula, pois ele sabe o que será abordado na sala virtual e estará mais seguro para levantar dúvidas, elaborar comentários para interagir ao vivo com o tutor e pensar em assuntos para comentar no chat com os colegas. A troca se torna muito mais enriquecedora e produtiva.

Ou seja, ao invés de tentar reter os conteúdos na transmissão ao vivo para resolver exercícios em casa, o colaborador acessa os conteúdos via internet antecipadamente e resolve os exercícios na transmissão. Onde pode contar com o auxílio e a intermediação do professor. Por isso, a ideia de inversão.

Agora que você entendeu como enriquecer sua transmissão ao vivo com a sala de aula invertida, veja 9 dicas que podem melhorar ainda mais suas lives:

9 dicas para fazer uma boa transmissão ao vivo

Captura do som, imagem minimamente visível e internet estável

Vamos começar do começo. As transmissões ao vivo são feitas em plataformas virtuais, certo? Para acessar e manter uma live é necessário que você possua uma internet que suporte seu acesso nas plataformas. A melhor forma de saber se sua internet é capaz de manter a transmissão, é fazendo pequenos testes.

Para que seja possível acompanhar a sua live, é necessário capturar sua imagem e som em tempo real. Você pode adquirir isto através de câmeras e microfones, independentes ou já vinculadas nos aparelhos eletrônicos.

É necessário que a imagem seja visível e que o som seja entendível para quem acompanhar. A melhor forma de averiguar a eficácia destes fatores é testando e vendo a sua própria live.

Para melhorar a qualidade da live, fique atento a posição da câmera em relação a luz do ambiente. Procure ficar na direção de onde vem a iluminação, assim o vídeo ficará mais iluminado.

Evite ficar perto de ruídos externos, pois a captação do som será melhor e quem assiste não terá distrações.

Se quiser se aprofundar mais, as próximas dicas podem ser úteis.

Interaja com os comentários

Durante sua live, utilize o canal de chat para receber e responder comentários dos espectadores ou apenas leia alguns. Fazendo isso, as pessoas ficarão com vontade de participar e muito mais engajadas. Essa é uma vantagem muito importante e única de uma transmissão ao vivo, a interação em tempo real com o público.

Todas as plataformas de transmissão ao vivo oferecem um chat com opções de mensagens ou até emojis. Se estiver dentro do possível, seria interessante um colaborador moderar esta função, assim, o público sente uma atenção constante e alguém poderá ajudar com as questões mais importantes comentadas pelo público. Isso evita que você perca oportunidades de engajamento.

O foco desta dica é incentivar o público a enviar perguntas e opinar sobre o conteúdo.

Analise os dados

As transmissões ao vivo também podem gerar dados de consumo para análise. Com dados, é possível entender o que está dando certo e o que precisa ser melhorado para garantir que sua live seja a melhor possível.

Por exemplo: o gestor da live pode analisar alguns dados como a quantidade de usuários assistindo, picos de acessos simultâneos, dados a respeito dos dispositivos (desktop ou mobile) e origem de acesso.

Assim, é possível fazer considerações a fim de entender o que engajou e instigou mais o interesse do público.

Tome cuidado com os diretos autorais

Mesmo que se trate de transmissões ao vivo, é importante tomar cuidado com conteúdo de terceiros. Um exemplo são as trilhas sonoras, evite as que não sejam de livre utilização, pois isso pode acarretar problemas futuros. Principalmente se o seu objetivo é salvar um arquivo da live.

Antes de iniciar uma transmissão, verifique alguns bancos gratuitos e selecione músicas e outros efeitos que poderão ser utilizados sem problemas.

Escolha uma plataforma segura e estável

Ninguém gostaria de assistir uma live onde o site trava em meio ao seu conteúdo. A dica nessa situação é que você procure uma empresa qualificada para realizar as transmissões, caso não consiga fazer isso com uma equipe interna, escolha uma plataforma segura e estável. Para garantir, faça testes.  

O Twygo é uma ferramenta que ajuda a fazer uma boa transmissão ao vivo. Conheça nossas soluções para saber como podemos te ajudar.

Defina o objetivo da sua transmissão ao vivo

Para que você desenvolva e oriente bem o planejamento da live, é necessário pensar no objetivo da sua live. Ele pode variar desde vender um produto ou serviço, atrair visitantes para a sua página e até informar as pessoas.

Faça o planejamento de conteúdo

Depois de definir o objetivo, faça o planejamento de conteúdo da sua live. Esse é o momento para definir todas as questões editoriais desde o tema até os participantes.

Não dá para contar unicamente com o improviso, certo? Por isso é importante escrever um roteiro que mostre os principais pontos a serem seguidos. Assim, nunca irá se perder e caso isso ocorra, saberá como voltar para o tema rapidamente. Ao fazer a live com preparo, você garantirá qualidade.

Cuide do cenário

Não basta que apenas a iluminação seja boa, o cenário também tem papel importante para a live. Seja em um estúdio ou quarto, é importante se certificar que o ambiente estará esteticamente agradável e limpo aos olhos. Organize todo o material que será utilizado durante a transmissão, deixe as coisas ao seu alcance e de forma que facilite a condução do tema.

É difícil prestar atenção em quem fala na frente de vários pontos que distraem, por exemplo.

Mas, não é necessário se preocupar excessivamente com o cenário, pois as pessoas, de forma geral, são mais tolerantes para questões menores no ambiente. Então, foco no plano e conteúdo!

Faça testes antes de entrar ao vivo

Para garantir que sua live não enfrente problemas técnicos, faça testes antes de entrar ao vivo. Estes testes servem para verificar se todos os equipamentos estão funcionando corretamente. Então veja se a iluminação está bem posicionada, se o foco está funcionando, se a conexão de internet está boa e se todos os softwares estão prontos para a transmissão.

Além disso, o teste serve para averiguar se a organização do cenário permite as movimentações que você fará.

Armazene as transmissões ao vivo

Considere aplicar em sua rotina o armazenamento das aulas ao vivo. Desta forma, quem assiste pode usar o que foi visto outra vez.

No caso de ensino, o aluno pode utilizar como material de revisão. Além de ser útil em casos de ausência na aula. Esses arquivos também podem gerar conteúdos para atividades de microlearning ou reutilização no futuro.

Quais equipamentos são usados para fazer uma boa transmissão ao vivo?

Conhecer e possuir os equipamentos próprios da transmissão ao vivo pode ser muito importante para quem busca ser expert. Afinal, eles têm o papel principal na qualidade da sua transmissão ao vivo. Veja mais sobre os equipamentos usados para gravar uma live abaixo:

Câmera

Para ser possível efetuar uma live, a câmera é essencial, pois um dos pontos mais importantes da transmissão é a imagem.

Existem inúmeros tipos de câmeras, qual a melhor ou mais indicada? Isso depende muito do orçamento disponível e do cenário. Saiba que é possível fazer transmissões com uma câmera profissional ou até mesmo com uma webcam.

  • Webcams: você já deve ter ouvido por aí que transmissões ao vivo por webcams são ruins. Mas, não tome isso como verdade!Atualmente as webcams evoluíram bastante e muitos dos notebooks já saem de fábrica com câmeras HD. Além disso, existem alguns modelos de webcam externa que são capazes de filmar em Full HD e com foco automático, como é o caso da C920 da Logitech.
  • Handycams: as handycams são câmeras portáteis, com qualidade de filmagem superior a qualquer webcam e que podem oferecer um ótimo custo/benefício. As Handycams são as mais indicadas para pessoas que não pretendem gastar a maior parte do orçamento com a câmera. Além disso, substituem muito bem uma webcam.
  • Câmeras profissionais (camcorders): se a webcam e a handycam não são o que deseja, você deve estar procurando uma câmera profissional. As câmeras profissionais disponibilizam uma estrutura profissional de captação de imagem, podem ser boas escolhas camcorders como as Panasonic Ag-Ac8, Sony 6758 ou Canon XA10.
  • DSLR, GoPro e Action cams em geral: é comum ficar com a dúvida “posso utilizar minha câmera fotográfica para transmitir ao vivo?”. Você pode utilizar, mas esses tipos de câmeras não são indicadas por causa de suas limitações. Por exemplo: as câmeras DSLR não suportam mais de 40 minutos de filmagem, por isso você fica limitado a este tempo de live. No caso da GoPro, o que pode limitar o tempo que você conseguirá de transmissão é a memória do cartão SD.
  • Saída HDMI: para finalizar, é importante que você opte por uma câmera com saída HDMI limpa (clean output). Esse recurso permite que você visualize o vídeo tanto na câmera quanto na tela do computador, além disso, permite que a imagem transmitida não mostre informações técnicas da câmera (como data, hora e até mesmo o REC).
como-garantir-uma-boa-experiencia-para-o-colaborador-no-ead-CTA

Mesa de corte de vídeo (switcher ou mixer)

Caso você escolha fazer a transmissão ao vivo utilizando mais de uma câmera, será necessário ter uma mesa de corte. Este equipamento é usado para selecionar a tomada ou câmera onde será realizada a transmissão ao vivo.

Ações como cortes secos, efeitos especiais e corte de áudio são gerenciadas por meio da mesa de corte de vídeo. Elas são essenciais para oferecer mais alternativas de captação e exibição caso o streaming ao vivo seja realizado por diferentes fontes de captura.

Caso não seja possível adquirir ou utilizar uma mesa de corte real (física), existem alguns softwares que simulam e cumprem muito bem a função. Como é o caso do Vmix.

Iluminação

Quem quer produzir conteúdos audiovisuais precisa ter bastante cuidado com um ponto em específico: a iluminação para vídeo.

Imagine assistir a um vídeo que seja escuro ou esteja com a iluminação estranha. Não soa atraente, certo? A experiência do usuário é muito importante e se o vídeo estiver escuro, com a imagem granulada ou até mesmo iluminado demais, causará desconforto a quem estiver assistindo. Portanto, a iluminação é um fator que pode influenciar a audiência a parar de te assistir.

No caso da iluminação natural, preste atenção se o foco da luz está destacando o ator no monitor.

Para a iluminação artificial, recomenda-se usar uma ring light. Esta iluminação é uma das mais utilizadas entre os profissionais que trabalham com vídeos. A ring light é uma luz fluorescente circular que normalmente é posicionada em volta da câmera. É muito útil para destacar o ator ou objeto em uma cena. Ela oferece uma luz bem uniforme e difusa.

Microfone

Falando em proporcionar a melhor experiência para o público, outro ponto chave na hora de começar sua transmissão ao vivo é ter certeza de que a audiência consiga te escutar com clareza.

Por isso, caso você não possa contar com a própria câmera ou filmadora para transmitir o áudio, escolha um bom microfone e faça testes com o vídeo antes de começar a transmitir.

O microfone que você vai usar, depende muito do tipo de situação que você vai transmitir. Por exemplo: entrevistas precisam de destaque em uma pessoas específica, nesse caso o ideal é usar o microfone de lapela ou sorvete, que captam o áudio de forma direcional e minimizam as interferências externas.

Computador com conexão à internet

Além dos equipamentos citados e de um computador, para realizar uma transmissão ao vivo é preciso que o vídeo seja preparado para a exibição em tempo real na internet.

Como se trata de transmissão ao vivo na web, a internet é parte vital para que a live ocorra. Muitos dizem ser possível transmitir ao vivo até com internet 4G, o que não é mentira. Acontece que esse tipo de conexão está sujeita a instabilidades.

Desta forma, para uma transmissão ao vivo padrão o mais indicado é disponibilizar uma conexão de pelo menos 2MB de uplink dedicado e exclusivo para o servidor de upload da transmissão.

Gostou de conhecer os inúmeros recursos que podem chegar até sua transmissão ao vivo? Existem ainda mais segredos que podem melhorar o treinamento por EAD, crie uma universidade corporativa única. Baixe gratuitamente e conheça nosso kit de videoaulas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários
Show Buttons
Hide Buttons