Plataforma para cursos online

Em um mundo cada vez mais influenciado pela internet, muitos hábitos foram modificados: podemos pedir comida em casa sem precisar telefonar, comprar praticamente tudo pela internet, abrir conta em bancos sem se deslocar até uma agência e até mesmo agendar viagens internacionais direto do celular. Nesse sentido, é natural que a maneira que os seres humanos aprendem também passe por transformações. Para responder a demanda pelo conhecimento rápido, fácil e acessível, desenvolveram-se as plataformas para cursos online, que conectam professores e alunos por meio da internet.

Prova disso é que, em quatro anos, o consumo de vídeos na web cresceu 135%, como aponta a pesquisa Video Viewers, realizada pela Google em parceria com o Instituto Provokers e a Box 1824. Ainda, quase 30% dos consumidores declararam que a sua principal motivação para consumir conteúdo em vídeo é o conhecimento. Ou seja: as pessoas buscam se informar por meio de vídeos, e não apenas se entreter.

Então, se você estava em dúvida sobre investir ou não nesse formato, saiba que vídeos são uma tendência mundial. Isso se aplica, inclusive, na educação a distância, por meio de plataformas para cursos online.

Está querendo entender mais sobre plataformas para cursos online? Deseja aprender como montar o seu curso online ou saber o que deve considerar na hora de escolher a sua plataforma?

Se respondeu “sim” a pelo menos uma dessas perguntas, você está no lugar certo! Continue a leitura e entenda:

Boa leitura!

O que são as plataformas para cursos online?

Uma plataforma para cursos online é um site que deve fornecer a infraestrutura adequada para o seu curso na internet. Em outras palavras, é onde o seu curso será hospedado, para ser oferecido e consumido pelos estudantes.

As plataformas de cursos comumente permitem que os contratantes personalizem seus sites com domínio próprio (o nome que vai depois do “www.”) e logomarcas, e oferecem suporte a diversos tipos de mídia para transmitir conhecimento aos alunos, desde textos em pdf até videoaulas e conferências em tempo real.

É importante ficar atento a essa variedade de formatos pois oferecer opções mais diversificadas vai te ajudar a engajar diferentes estilos de alunos.

Plataforma de cursos online - nova tendência

Como funciona uma plataforma para cursos online?

As plataformas para cursos online funcionam como uma escola virtual: os professores disponibilizam conteúdos em diferentes formatos (alguns exemplos são: texto, link, PowerPoint, videoaula, transmissão ao vivo, avaliação e questionário).

Esses conteúdos são ofertados em uma vitrine de cursos, pela qual os alunos podem se matricular nos cursos em que interessarem e assistir às aulas em qualquer lugar, usando um computador, celular ou tablet.

Dentro das plataformas, os professores podem acompanhar o desempenho dos seus alunos, propor dinâmicas de gamificação para melhor a absorção dos conteúdos e oferecer materiais completares para os estudantes que estiverem com dificuldades.

Com uma plataforma de educação online, torna-se mais fácil identificar as diferenças de estilos de aprendizagem e respeitar as individualidades, fazendo um monitoramento personalizado para cada aluno. Como resultado, você terá alunos mais satisfeitos e melhor aproveitamento dos cursos.

Agora que você já sabe o que é e como funciona uma plataforma para cursos online, que tal conferir nosso passo a passo e aprender como montar um curso online?

Como montar um curso em uma plataforma de cursos online

Como montar um curso do ZERO em uma plataforma para cursos online?

Montar um curso online é uma tarefa trabalhosa e que exige esforço e dedicação, pois requer uma estratégia para criar conteúdos atrativos. O lado bom, porém, é que o mercado dos cursos online tem crescido significativamente nos últimos anos, principalmente com a popularização do YouTube e dos canais relacionados à educação e é uma ótima oportunidade de crescimento profissional.

Pensando nisso, preparamos um GUIA para te ajudar a montar seu curso online do jeito certo e sem complicações. Vamos lá!

1) Escolha o tema da aula que você vai preparar

Comece definindo qual será o assunto do curso que você vai oferecer. Avalie qual é seu público alvo, pois talvez você precise montar cursos diferentes para abordar um mesmo tema, dependendo do público alvo. Opte por um assunto que você tenha habilidade específica, baseada em experiências, formação acadêmica ou vivência na área.

Com o tema escolhido, é necessário que você monte seu plano, descreva qual serão os tópicos que você vai abordar, determine os objetivos (o que você quer que seu aluno saiba ao final de cada módulo).

Escolha também qual será a estratégia de ensino, isto é, se o seu curso será síncrono (ao vivo), assíncrono (gravado) ou híbrido, modelo em que utilizam-se, no mesmo curso, aulas ao vivo em salas virtuais e aulas gravadas disponibilizadas para que o aluno assista conforme sua disponibilidade.

Faça o planejamento das aulas, detalhando como vai estruturar os conteúdos e como vai avaliar a aprendizagem dos alunos.

Aproveite esse momento de planejamento, também, para definir qual vai ser o diferencial do seu curso frente ao mercado, o que fará os interessados optarem pela sua oferta e não pelas outras. Pode ser um material grátis, um conteúdo exclusivo que só você tem, um preço mais atrativo do que o dos seus concorrentes, e assim por diante. Aí, é você que escolhe.

2) Produza o conteúdo

Depois de escolher sobre o que você irá falar, é hora de colocar a mão na massa: selecione e/ou produza todos os conteúdos que seus alunos irão utilizar durante as aulas. É bom lembrar que você deve garantir a credibilidade do conteúdo que irá transmitir, checando fontes confiáveis e grandes especialistas no assunto. Afinal, essa é a parte que seus alunos mais estarão esperando: o conhecimento.

Leia também  Conheça os melhores formatos de conteúdo para cursos online

Leia também: Conteúdo EAD: 6 dicas pra produzi-lo do jeito certo

A tendência ultimamente tem sido o aprendizado por meio de videoaulas, principalmente porque vídeos costumam ser mais atrativos para os alunos. Eles possuem apelo visual e sonoro, adotam uma linguagem mais simples e humanizam o conteúdo, fazendo com que os espectadores prefiram assistir a um vídeo ao invés de ler um artigo científico de 50 páginas. Use isso ao seu favor!

Como fazer videoaulas incríveis e transpor as barreiras do isolamento social

Preparamos algumas dicas para que você produza videoaulas completas e atrativas, dê uma olhada:

a) Faça um roteiro

O roteiro é o guia que vai te orientar em todos os momentos da produção da videoaula, tanto em relação ao conteúdo quanto em relação aos elementos de cena que devem ser considerados (enquadramento, sons de fundo, cenário, animações etc.).

Ademais, quando estiver redigindo seu roteiro, você já estará organizando o conteúdo que vai passar de uma forma que possa ser entendida pelos alunos. Por ajudar nesse processo de organização das ideias, ele é muito importante.

b) Encante nos primeiros 10 segundos

É importante que sua videoaula já comece a todo vapor, comece com algo que desperte o interesse dos seus alunos. Estudos dizem que os primeiros 10 segundos farão com aluno siga em um determinado conteúdo ou desista dele. Você pode optar por deixar claro qual é o resultado final, ou seja, começar pelo fim (dependendo do assunto isso pode ser uma boa estratégia).

Mas atenção! Ao contrário do que alguns pensam, a ideia não é resumir o conteúdo todo em menos de um minuto, mas sim informar, de forma objetiva, qual será o tema da aula, como ele será abordado e qual é o benefício de assistir àquele vídeo, de forma que desperte o desejo no aluno.

Não comece o vídeo com questões irrelevantes: seu aluno quer conhecimento!

c) Atente-se aos elementos do vídeo

Além de apresentar um conteúdo relevante e significativo, você também precisa atentar-se para elementos estéticos e sonoros para que sua videoaula tenha qualidade.

Cuide para que o som não tenha ruídos ao fundo, seja nítido e contínuo durante todo o vídeo. Uma boa iluminação também favorece a atenção dos alunos, fazendo com que eles foquem no instrutor, assim como um cenário adequado evita que o aluno preste atenção demais a esse tipo de detalhe.

Elementos da pós-produção como trilhas, imagens de apoio, lettering, efeitos sonoros e transições também podem ser inseridos no vídeo, desde que contribuam com o aprendizado dos alunos e não se tornem excessivos. Vamos falar mais sobre isso na dica #5.

d) Grave quantas versões forem necessárias

Deixe a preguiça de lado e grave quantas versões forem necessárias para que sua videoaula seja compreensível e bem-acabada. O capricho e a qualidade são facilmente reconhecíveis em uma videoaula bem feita.

e) Invista em uma boa edição

A edição tem o poder de transformar um conteúdo bom em um conteúdo incrível ou eu um conteúdo muito ruim. Tudo depende da qualidade e da quantidade dos elementos de pós-produção que são adicionados: se a trilha (música de fundo) fica muito alta, não se entende o que o instrutor está dizendo, se há muitas imagens de apoio, o aluno pode ficar perdido e acabar não compreendendo o assunto.

Por isso, tenha parcimônia ao escolher os recursos para enriquecer a sua videoaula. Em alguns casos, menos é mais!

f) Dê exemplos ao longo da explicação

Exemplos tornam a compreensão mais fácil, e fazem com que os alunos fixem o conteúdo de forma mais natural, já que o conceito é associado a uma situação do dia a dia. Nesse texto, por exemplo, já inserimos vários exemplos para fazer com que você entendesse melhor certas instruções. Até mesmo esse exemplo é um exemplo! Percebeu?

g) Tome cuidado com cacoetes e vícios de linguagem

É claro que você pode colocar um pouco da sua personalidade nas videoaulas, afinal, essa pode ser uma maneira interessante de atrair a atenção do aluno. Porém, tome cuidado para não empregar cacoetes e vícios linguísticos excessivamente.

Trejeitos como passar muito as mãos no cabelo e no rosto ou arrumar os óculos com frequência podem desviar a atenção do aluno. Cuide também para não utilizar expressões equivocadas e siga as normas gramaticais, passando credibilidade na sua fala.

h) Certifique-se que a linguagem está adequada ao público-alvo

A maneira como você se comunica é um dos aspectos mais importantes para que os seus alunos se interessem pela aula e consigam compreender o que você está ensinando. Por isso, estude o público-alvo que você atinge e adeque sua linguagem a ele.

Se for um público mais jovem, opte por uma linguagem menos formal, que aproxime o aluno do conteúdo. Se os alunos tiverem mais experiência e o conteúdo for mais avançado, não tenha medo de incluir termos técnicos em sua explicação.

f) Quebre os conteúdos em vídeos menores

Evite o excesso de informação na sua videoaula: os seres humanos não conseguem reter tudo de uma vez.

Experimente quebrar um assunto grande que daria espaço para um vídeo de duas horas em uma série de vídeos de até dez minutos. Assim, os alunos conseguirão reter o conteúdo de forma mais completa, pois ele será assimilado em pequenas porções.

Você também pode adotar a estratégia de flipped learning, que geralmente inicia com um védeo mais curto para instigar a atenção dos alunos, e depois os incentiva a realizar pesquisas mais completas.

Tenha essas dicas sempre em mente e não deixe de conferir também nossas sugestões de ferramentas grátis para te ajudar a criar conteúdos de forma didática e criativa! Agora, vamos continuar com a explicação sobre como criar o seu curso online:

Leia também  10 ferramentas gratuitas para criação de conteúdo para cursos online

3) Escolha uma plataforma para cursos online

Já com o conteúdo do curso em mãos, o próximo passo é escolher a plataforma onde você irá disponibilizá-lo. Como já comentamos aqui, a plataforma para cursos online é o meio pelo qual você vai interagir com o seu aluno.

Portanto, pesquise as opções e escolha a que tem as ferramentas que você mais precisa: uma interface amigável, suporte para videoaulas, emissão de certificados de conclusão, sistema de controle financeiro, etc.

Mais adiante vamos te mostrar algumas dicas sobre como fazer essa escolha.

4) Defina os planos e preços do seu curso

Outro ponto importante dos cursos online é que você mesmo define o seu preço e os planos que irá oferecer. É preciso ter muita cautela nesse passo.

Pense no que é mais vantajoso tomando como base o tipo do curso que você vai ofertar: cobrar uma taxa única pelo curso todo ou uma taxa mensal, permitindo que o seu cliente tenha acesso ao seu material por quanto tempo quiser.

Geralmente, cursos mais longos costumam ser comercializados em planos mensais, renovados periodicamente, e cursos mais curtos podem ser vendidos por uma taxa única de utilização.

Estude também a possibilidade de oferecer descontos em planos trimestrais, semestrais ou anuais, caso escolha vender seu curso por meio de taxas periódicas. Oferecendo um benefício a mais para o aluno, você garante um período de permanência maior!

5) Divulgue na internet

Tudo pronto? Então está hora de atrair alunos para consumir o conhecimento que você preparou!

Você pode criar um perfil de negócio em redes sociais (como Instagram, Facebook e LinkedIn) e atualizá-lo constantemente com novidades sobre os cursos para ser visto pelos potenciais clientes de forma gratuita.

Se quiser investir em anúncios pagos, as redes sociais que citamos já oferecem essa possibilidade, assim como o Google Ads, que é a ferramenta de anúncios do Google.

Agora que você já aprendeu como montar o seu curso online, gostaríamos de te alertar quanto a algumas dificuldades que podem surgir no meio do caminho.

 

Dificuldades que podem ser encontradas em cursos online (e como contorná-las)

Altas taxas de evasão

Estudar online exige dos alunos muita disciplina, organização e autonomia — afinal, são eles que determinam seus próprios horários e quanto vão estudar por dia. Como muitos alunos têm rotinas agitadas e acabam deixando o curso em segundo plano, a taxa de evasão em cursos online tende a ser grande.

É comum que essa modalidade de ensino tenha vários alunos matriculados, mas muitos desistentes pelo caminho.

Para evitar que isso aconteça, o professor deve oferecer um curso diversificado e abusar da criatividade na hora de produzir os conteúdos. Além disso, é muito válido ouvir os feedbacks dos alunos e descobrir quais são as dificuldades que eles enfrentam para poder encontrar meios de contorná-las.

Cursos desatualizados

Há uma necessidade cada vez maior de inovação nos cursos online. Isso justifica-se porque ainda há muitos instrutores que colocam conteúdos na plataforma para cursos online e nunca mais o atualizam, acreditando que o conteúdo está contextualizado e fará sentido para os alunos não importa a circunstância.

Como você deve imaginar, o que acaba acontecendo é que os cursos ficam obsoletos e não atraem novos alunos.

Imagine um curso online preparatório para o ENEM, por exemplo: a cada ano, ele deve ser atualizado, pois a prova nunca é a mesma, e em alguns casos os conteúdos a serem cobrados podem ter um enfoque diferente. Além disso, o professor pode ter aprendido uma forma diferente de passar determinado conteúdo, e atualizá-lo poderá ser muito benéfico para os estudantes.

Aproveite a facilidade de edição que a internet possibilita e mantenha seu curso sempre atualizado!

Falta de comunicação

O fato de que os cursos online não requerem interação física não precisa significar falta de comunicação entre os alunos. Pelo contrário! Nessa modalidade de ensino a comunicação é muito mais fácil (e também mais necessária).

Para garantir a qualidade da comunicação, você pode procurar por uma plataforma para cursos online que tenha espaços para discussão e comunicação como os fóruns.

Dificuldades encontradas em cursos online

Com tudo isso em mente, só falta escolher a plataforma que você vai utilizar. Confira nossas dicas para saber como selecionar a melhor:

9 dicas para escolher a melhor plataforma para cursos online

Baseados em nossa experiência sobre o assunto, fizemos uma lista para te ajudar a escolher a melhor plataforma para cursos online de acordo com as suas necessidades. Dê uma olhada:

1. Atente-se à personalização

Como diz o ditado, a primeira impressão é a que fica. Por isso, o site onde você disponibilizará seus cursos online deve ser atrativo e passar credibilidade para os clientes. A maioria das pessoas julga o livro pela capa!

Com isso em mente, é importante procurar por plataformas para cursos online que possibilitem a personalização do seu site de forma simples e intuitiva, sem que você precise contratar programadores ou webdesigners terceirizados. Personalizações de domínio do site, cores de fundo, imagens, favicon e logomarca são requisitos básicos para que você selecione a opção mais completa para o seu negócio.

2. Veja se se a ferramenta oferece design responsivo

Ter um design responsivo significa funcionar em diferentes tipos de dispositivos. Você já teve dificuldade de navegar em sites no celular que funcionam perfeitamente no seu computador? Certamente não é uma experiência muito agradável. E você não quer que o seu cliente passe por isso quando for acessar seus cursos, não é?

Afinal, hoje os smartphones são a principal forma de acesso à internet, e muito provavelmente é a partir deles que seus alunos irão navegar na plataforma de cursos. Por isso, quando estiver pesquisando opções de plataformas para cursos online, dê prioridade para aquelas que estão preparadas para funcionar nos mais diversos tipos de dispositivos. Assim, a experiência do seu cliente será mais positiva.

Leia também  Como prospectar alunos com uma plataforma EAD

3. Verifique quais são as opções de pagamento

Dependendo do curso que você quer ofertar, pode ser mais vantajoso comercializá-lo como um pacote único (quando o cliente compra e pode acessar o curso integralmente por tempo ilimitado), cobrar por mês, por semestre, por ano, e assim por diante. Qualquer que seja a modalidade que você deseja oferecer, certifique-se de que a plataforma escolhida tenha essa possibilidade.

É bom lembrar também que algumas pessoas têm uma certa resistência em efetuar compras na internet. Para solucionar esse empecilho, você pode contar com ferramentas conhecidas para assegurar a segurança do pagamento, como a integração com PagSeguro, por exemplo, que está presente no mercado há anos e é recomendada por muitas empresas e consumidores.

Assim, você garante a transparência e a segurança que seu cliente precisa para concluir a negociação pela internet.

4. Garanta a segurança dos seus cursos

Ainda falando um pouco sobre segurança na internet, queremos chamar atenção para a segurança dos conteúdos que você utiliza para dar as aulas. Para evitar que o curso vaze e seja alvo de plágio ou pirataria, é importante ter certeza que a plataforma que você utiliza para distribuí-lo tenha várias camadas de proteção e impeça que os usuários repliquem o conteúdo em outras páginas.

5. Certifique-se de que terá suporte quando necessário

Ter assistência de uma equipe de suporte no seu idioma é um ponto fundamental para considerar ao escolher sua plataforma para venda de cursos online. Imagine que problema seria se o seu portal estivesse com problema na hora do pagamento e seus clientes não pudessem concluir suas compras. Você aciona o suporte e descobre que terá que esperar 7 dias úteis para obter uma resposta em inglês, que ainda terá que traduzir para entender.

Nada vantajoso, não é? Por isso, preste bastante atenção na qualidade, na disponibilidade e na língua do suporte que as plataformas oferecem.

6. Cheque se há possibilidade de exportação de relatórios gerenciais

Alguns teóricos da administração dizem que o que não pode ser medido não pode ser gerenciado. Ou seja, se você não tem números para quantificar certas coisas, não tem como saber se elas estão correndo da maneira certa. E até mesmo em plataforma para cursos online isso se faz necessário!

Afinal, como você vai saber se o conteúdo que está sendo produzido está funcionando bem para os alunos? Podendo visualizar e exportar relatórios gerenciais!

Indicadores como a taxa de abandono do curso e a média dos estudantes podem te ajudar a entender como as aulas estão sendo recebidas.

Além disso, relatórios gerenciais podem ser relevantes para que você veja quais são os cursos mais populares e quais não são tão aceitos pelo público. A partir de informações como essas, você pode planejar novas ações com objetivo de popularizar os cursos pouco acessados, por exemplo.

7. Garanta que poderá importar e exportar conteúdos em SCORM

O SCORM é um formato padrão para compartilhamento de arquivos entre plataformas LMS (como também são chamadas as plataformas de ensino online). Se você precisar transferir materiais entre diferentes plataformas para cursos online, o SCORM possibilita que não haja perda de informações entre a origem e o destino e que você não terá que transferir os dados manualmente.

Essa funcionalidade faz muita diferença na vida de quem trabalha com cursos online. Por isso, certifique-se de que a opção que você vai escolher oferece a possibilidade de importação e exportação de conteúdos em SCORM!

8. Calcule o custo-benefício

Com tantas opções parecidas disponíveis no mercado, em alguns casos o diferencial fica por conta do custo-benefício da ferramenta. Para descobrir se a ferramenta tem um bom custo-benefício para o seu negócio, estude quais são as funcionalidades mais importantes para você e cheque se as opções do mercado se adequam às suas necessidades.

Se há mais recursos do que você necessita, talvez não seja vantajoso pagar por funcionalidades que você não irá utilizar. Do mesmo modo, não vale a pena escolher a opção mais básica se ela não oferecer tudo que você necessita: o barato pode sair caro.

Além disso, verifique se a ferramenta cobra alguma taxa sobre suas vendas e se ela cobra por cada aluno ou por um número fixo. Dependendo do tamanho do seu público, esses fatores podem aumentar ou diminuir os gastos com a plataforma.

A solução é colocar na ponta do lápis e investir na ferramenta e no plano que vai te atender da melhor forma.

9. Teste o Twygo

O Twygo é uma plataforma EAD que tem a missão de disseminar o conhecimento de forma rápida, simples e dinâmica. Se você precisa de um plataforma para comercializar e disponibilizar seus cursos online, o Twygo é a opção certa para você! A ferramenta possui diversas funcionalidades para te ajudar, como:

  • Pagamento online;
  • Suporte a diversos tipos de conteúdo;
  • Avaliações de compreensão;
  • Plataforma personalizável;
  • Notificações automáticas;
  • Emissão de certificados;
  • Controle financeiro;
  • Relatórios de desempenho;
  • E muito mais!

Várias empresas já descobriram as vantagens de utilizar o Twygo como plataforma para cursos online.


Faça um teste e comece hoje mesmo


Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *