Planejamento orçamentário

Planejamento orçamentário é um plano empresarial com o objetivo de estimar as entradas e saídas monetárias da empresa. Ele deve descrever, entre outras coisas, qual será a verba da organização para o próximo ano, levando em conta os diferentes setores que a constituem, como: vendas, produção, RH e marketing. Além disso, ele também deve definir entre quais atividades do setor essa verba será dividida. Por exemplo: 40% da verba de marketing deve ser destinada ao pagamento de anúncios na Internet. O mesmo acontece na área de treinamento e desenvolvimento (T&D) de colaboradores. A verba, que será decidida pela alta hierarquia empresarial, deve constar no planejamento orçamentário da empresa, bem como a divisão para cada parte do programa de T&D.

Por exemplo: qual será o orçamento para contratar pessoal especializado, para investir em novas ferramentas, etc. (falaremos mais disso adiante!)

Então acompanhe o nosso texto! Vamos te explicar:

Mas antes, você ainda tem alguma dúvida sobre T&D? Não deixe de conferir nosso post com tudo sobre Treinamento e Desenvolvimento de colaboradores.

O que um planejamento orçamentário pode ajudar a prever?

Há uma crença – totalmente equivocada – de que planejamento orçamentário é coisa para grandes organizações e que empresas menores não tem a necessidade de fazer esse plano, no entanto isso não é verdade.

É altamente recomendável que o planejamento orçamentário seja feito também por empresas pequenas e médias, pois ele auxilia a mensurar metas por equipes com base no que poderá ser gasto, incentiva a empresa a realizar uma análise detalhada do mercado financeiro e ainda prevê todas as despesas que a organização terá, evitando que surpresas apareçam pelo caminho.

E na área de T&D não é diferente! Algumas empresas baseiam toda sua produção e vendas na necessidade de capacitar seus colaboradores para tal atividade, portanto, não é possível fazer um planejamento orçamentário sem prever os custos com o treinamento e desenvolvimento de pessoas na organização.

Segundo a pesquisa Panorama do Treinamento no Brasil (de 2017), o investimento anual em T&D no Brasil é de, em média, 1.821.000 reais.

Esse número varia quando falamos em quantidade de colaboradores, mesmo assim, é uma quantia muito significa e seu gasto deve ser devidamente planejado.

Leia também  O que é a avaliação 360° e como ela pode ajudar na gestão estratégica de pessoas?

investimento médio anual em T&D

Fonte: Pesquisa panorama do treinamento do Brasil (2017)

Para te ajudar a entender a importância do planejamento orçamentário para a área de T&D, listamos abaixo alguns fatores que esse plano pode ajudar a prever:

Quantas horas serão gastas com treinamento

Quando falamos de T&D, calcular custos envolve contabilizar a quantidade de horas que os colaboradores gastarão com treinamento. Esse é um dado muito importante porque ajuda a prever quanto tempo de paralisação haverá – afinal, quando os colaboradores estão em treinamento eles precisam parar sua jornada de trabalho para participar do aprendizado.

Além disso, a quantidade de horas gastas é fundamental para elaborar o orçamento de horas de trabalho para instrutores e profissionais que se envolverem com o T&D.

Segundo a mesma pesquisa, anualmente o Brasil gasta 21 horas de treinamento por colaborador, o que é bem abaixo da média de países como os Estados Unidos, que gastam 33 horas anuais, e menor ainda do que os dados de 2016: eram 22 horas anuais por colaborador.

horas anuais de treinamento por colaborador

Fonte: Pesquisa panorama do treinamento do Brasil (2017)

O que contratar: instrutores internos x externos

Quando o planejamento orçamentário de T&D estiver pronto, é possível que o gestor decida o que é financeiramente mais viável: contratar instrutores internos ou externos.

Um instrutor externo certamente terá muito conhecimento do assunto sobre o qual ele falará. No entanto, ele não conhecerá tanto da empresa.

Um instrutor interno pode não ser a maior referência do mundo sobre determinado assunto, mas certamente saberá falar sobre a situação da sua empresa como ninguém.

Financeiramente, um instrutor externo é mais caro, pois, além dele cobrar pela sua hora de serviço, a empresa também deverá arcar com custos de deslocamento e de hospedagem (quando necessário).

Atualmente, quase metade dos gastos de T&D destina-se às atividades terceirizadas, como a contratação de um instrutor externo.

distribuição de gastos de t&d

Fonte: Pesquisa panorama do treinamento do Brasil (2017)

É possível investir em inovação?

Por último, ter um planejamento orçamentário para o T&D permite que o responsável por essa área defina se é possível investir em inovação.

Com o plano de orçamento será possível mensurar como gastar uma parte da quantidade da verba com soluções tecnológicas para o T&D (ou algum outro tipo de inovação, como uma nova estrutura para treinamentos).

Leia também  Treinamento de Equipe: descubra como e por que colocar em prática já!

Muitas empresas têm apostado, por exemplo, em contratar plataformas EAD para disponibilizar treinamento a distância ou misto (também chamado de blended learning).

Atualmente, esses são os dados referentes à utilização do treinamento a distância (ou misto) no Brasil:

percentual de treinamentos realizados conforme a forma de entrega de 2017

Fonte: Pesquisa panorama do treinamento do Brasil (2017)

Número maior do que em 2016:

percentual de treinamentos realizados conforme a forma de entrega de 2016

Fonte: Pesquisa panorama do treinamento do Brasil (2016)



Agora que você já entendeu a importância de ter um planejamento orçamentário para o T&D e quais gastos/investimentos ele pode ajudar a prever, saiba também como elaborar esse plano:

Dicas para fazer o planejamento orçamentário de treinamento e desenvolvimento de colaboradores

1 – Verificar a quantidade de colaboradores

Os gastos de T&D devem ser calculados de acordo com a quantidade de horas que serão despendidas no treinamento (já falamos sobre isso no texto anteriormente) e com a quantidade de colaboradores que participarão dos treinamentos.

Naturalmente, o gasto que uma empresa de 100 colaboradores terá para capacitá-los é inferior ao gasto que uma empresa de 500 colaboradores terá.

Por exemplo: para treinar 100 colaboradores para utilizar um novo software, você deverá levar em conta: locação de um espaço para todos, horas despendidas com a preparação do treinamento, horas despendidas por cada colaborador para realizar o treinamento, valor da hora cobrada pelo instrutor, entre outros fatores.

2 – Comparar com o que já foi realizado em anos anteriores

A base para o seu planejamento orçamentário deverá ser os anos passados. Por isso, visite o seu plano orçamentário anterior. Caso não houver um plano orçamentário já realizado, tente juntar o máximo de documentos que relatem os gastos que a sua empresa teve no ano que passou, como notas fiscais, comprovantes de pagamento e registros de horas de planejamento e execução dos treinamentos.

Se é a primeira vez que você está estruturando o T&D, talvez seja o momento de você fazer uma breve pausa e ler nosso texto sobre tudo para montar seu Programa de Treinamento e Desenvolvimento.

3 – Levar em conta riscos

É extremamente importante levar em conta riscos que podem aparecer, e fazer um orçamento flexível, que tenha fundos de reserva. Alguns dos riscos que podem surgir são: necessidade de repetir o treinamento mais do que o planejado inicialmente e insatisfação dos colaboradores (gerando um replanejamento do seu programa de T&D).

Leia também  5 em 5: descubra os 5 objetivos do treinamento e desenvolvimento em 5 minutos

Calculadora de orçamento de T&D

4 – Estabelecer indicadores de efetividade

O planejamento orçamentário não deve apenas prever quanto será o investimento da empresa no treinamento de colaboradores, mas também definir quais indicadores podem refletir a efetividade dos treinamentos, mostrando que o T&D está funcionando.

Alguns exemplos de indicadores de efetividade do T&D são:

  • Diminuição do turnover de colaboradores.
  • Diminuição de acidentes de trabalho.
  • Melhora no clima organizacional.
  • Conclusão de certificação em normas regulamentadoras.

Aumento da qualidade dos processos.

Benchmarking de treinamento e desenvolvimento
Você já tem algumas dicas bem importantes para fazer o seu planejamento orçamentário de T&D! Mas como todo planejamento, a execução deve ser acompanhada de perto! Entenda como fazer isso e gerar relatórios que comprovem que os investimentos em T&D valeram a pena.

Como acompanhar a execução do planejamento orçamentário

O acompanhamento da execução do planejamento orçamentário deve se basear em verificar se os indicadores estão de acordo ou não.

Mas como verificar isso?

Você precisará documentar tudo, principalmente as horas que cada colaborador gastou com o treinamento! Mas fique tranquilo, é possível contratar ferramentas que geram esses relatórios automaticamente.

O Twygo, nossa Plataforma EAD, funciona como um portal de treinamentos. Você pode personaliza-lo com o jeitinho da sua empresa e disponibilizar cursos com conteúdos exclusivos que poderão ser acessados por seus colaboradores a qualquer hora ou lugar.

Além disso, o Twygo possui um dashboard completo que pode fornecer informações importantes para comprovar que a verba destinada ao T&D está sendo gasta de modo a gerar resultados.

Algumas das informações que o Twygo pode fornecer sobre o seu programa de T&D:

  • Comparação entre carga horária planejada e realizada.
  • Progresso dos seus colaboradores nos cursos.
  • Quantos certificados foram emitidos.
  • Quantos colaboradores estão cadastrados e quantos estão efetivamente fazendo os treinamentos.

Esperamos que o nosso texto tenha ajudado você a realizar o planejamento orçamentário de T&D.

Aproveite e teste o Twygo para entender como nós podemos te ajudar a capacitar seus colaboradores e comprovar a eficácia do seu programa de T&D!

Twygo Plataforma EAD

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *