Entrevista de desligamento: as principais perguntas e dicas para fazer do jeito certo!

Newsletter
Entrevista de desligamento

O desligamento de um colaborador é sempre um momento delicado. Entretanto, também é uma oportunidade para identificar problemas organizacionais. Se uma organização enfrenta um alto índice de turnover, colaboradores se queixando de conflitos internos e não há uma boa gestão das competências, é sinal de que algo não está indo bem. É para ajudar a identificar a raiz desses impasses que existe a entrevista de desligamento.

A entrevista de desligamento é uma ferramenta muito importante para identificar adversidades que podem estar levando a insatisfação de colaboradores na sua empresa. Quer saber como ela funciona e qual o jeito certo de realiza-la? Siga a leitura pois vamos ensinar nesse post!

O que é entrevista de desligamento?

Entrevista de desligamento é um procedimento realizado pelas empresas para encontrar oportunidades de melhoria. Ao entrevistar colaboradores que estão em processo de desligamento, é possível obter um feedback e determinar quais são os pontos positivos e negativos de trabalhar na organização.

A realização da entrevista de desligamento é essencial para identificar oportunidades de melhoria nos processos. No fim das contas, a maioria das pessoas não apenas concorda em fazer a entrevista, como gosta de dar um feedback sobre o período em que trabalhou.

Vale destacar que não é necessário esperar esse momento para capturar essas percepções e receber esses feedbacks, é interessante estruturar essa rotina e ir melhorando as coisas sem esperar um o desligamento ocorrer.

Para quem não está muito familiarizado com a área de gestão de pessoas, pode ser um pouco estranha a ideia de entrevistar alguém que está saindo da empresa. Porém, esse processo traz uma série de benefícios às organizações. Confira alguns dos principais:

Benefícios de realizar a entrevista

Identificar fragilidades dos processos

Ao contrário do que muitos pensam, a entrevista de desligamento não serve apenas para saber o motivo do desligamento. Na verdade, é nela que o empregado terá a oportunidade de dar um feedback geral sobre a empresa e compartilhar as percepções que teve durante o tempo em que esteve trabalhando.

Logo, a entrevista de desligamento é uma chance de descobrir quais processos não fluem bem, quais ferramentas deixam a desejar, entre outras coisas, tudo do ponto de vista de alguém que trabalhava com aquilo no dia a dia.

Identificar melhorias na área de gestão de pessoas

A entrevista de desligamento também ajuda a identificar problemas competentes à área de gestão de pessoas, como problemas no clima organizacional, conflitos entre colaboradores, falta de oportunidades, falta de treinamentos, etc.

Saber mais sobre as habilidades dos gestores

Quem trabalha com RH sabe que um dos motivos mais frequentes de pedidos de demissão são conflitos com o chefe. Realizar entrevistas de desligamento é uma excelente oportunidade para perceber se algum líder está tendo dificuldade em gerenciar as equipes.

Isso não significa necessariamente que esse líder é ruim, mas que talvez ele precise desenvolver algumas competências relacionadas a gestão que o ajudem a ter um tato melhor com seus subordinados.

E-book gestão por competências

Saber o que mais leva pessoas ao desligamento

Esse é o benefício mais óbvio de realizar entrevistas de desligamento. É indispensável perguntar ao entrevistado qual é o motivo que o levou a sair da empresa, seja em desligamentos voluntários ou involuntários.

Fazer essa pergunta em casos nos quais o colaborador decidiu se desligar ajuda a entender pontos de melhoria no negócio. Já em casos nos quais a decisão partiu da empresa, ajuda a avaliar a qualidade da comunicação com o colaborador desligado.

Como assim? Bem, muitas vezes, ao chegar na entrevista de desligamento, o colaborador sequer sabe o motivo da demissão, o que demonstra uma deficiência no processo de desligamento. Logo, perguntar o motivo da demissão é imprescindível mesmo quando a decisão partiu da empresa, para saber se ficou claro para o colaborador o motivo do desligamento.

Coletar informações para um programa de capacitação

A questão dos treinamentos é muito importante e, às vezes, é deixada de lado. Depois de um certo número de entrevistas de desligamento, é possível perceber que muitos colaboradores decidem se desligar por incapacidade de trabalhar em equipe e que isso poderia ser facilmente resolvido com treinamentos de equipe.

Por exemplo: fragilidades do processo podem ser causadas por falta de conhecimento das pessoas, seja no processo, nas ferramentas ou até nas políticas da empresa.

Assim como os problemas de gestão podem demandar treinamentos de liderança, tanto para novos líderes quanto para os que já estão nessa posição há algum tempo, mas precisam atualizar ou melhorar suas habilidades de gerenciamento de equipes.

E-book Como implantar práticas de treinamento e desenvolvimento na sua organização

Conseguiu entender como a realização de entrevistas de desligamento é importante? Às vezes, elas podem até ser realizadas de maneira mais informal: quando o colaborador está saindo da empresa, o profissional de RH pode chamar o colaborador para uma conversa sincera.

Mas, para isso, precisamos te ensinar como fazer a entrevista de desligamento de forma correta. Siga a leitura para conferir!

Entrevista de desligamento: como fazer na prática

1 – O entrevistador deve ser um profissional de RH

Não é recomendado que o entrevistador seja o próprio chefe ou gerente da empresa. Imagine a situação: o colaborador decide se desligar da empresa por causa de conflitos constantes com o chefe. Depois, a entrevista de desligamento é guiada por esse mesmo chefe. Quais as chances de o colaborador ser 100% sincero nas respostas? Pequenas, não é?

Ou pior: uma entrevista com o próprio líder pode acabar em mais um conflito, o que não é incomum. Por isso, o ideal é que a entrevista seja realizada por um especialista em recursos humanos. Caso você não tiver uma equipe interna preparada para isso, estude a possibilidade de contratar um consultor ou especialista freelancer.

Em último caso, se não for possível a atuação de um profissional de RH, explique ao colaborador que ele pode e deve ser transparente e tente tornar a entrevista o mais leve possível.

2 – Escolha o momento certo para a entrevista de desligamento

Há um momento certo para tudo, inclusive para a entrevista de desligamento. Se o colaborador acabou de receber a notícia, não é legal surgir fazendo perguntas, pois ele ainda pode estar digerindo a situação. O mesmo vale para quando a decisão partiu do colaborador.

Entrevistas realizadas fora de hora podem gerar reações inesperadas e respostas inadequadas. Por que não esperar pelo dia em que o colaborador irá na empresa levar seus documentos, por exemplo? Nessa ocasião, é provável que as coisas já estejam mais estáveis e os pensamentos já estejam mais calmos.

3 – Lembre-se: a entrevista não é obrigatória

A entrevista de desligamento não é um procedimento obrigatório, afinal, se o colaborador está saindo da empresa, ele pode se recusar a participar de um processo que não é exigido por lei.

Apesar de a maioria das pessoas concordar em participar e até gostar de dar um feedback para a empresa, pode ser que algumas não estejam interessadas, e é um direito delas. Sendo assim, quando for abordar o colaborador, trate a situação como um convite para a entrevista, e não uma convocação.

4 – Saiba filtrar as informações

E tudo o que o colaborador disser na entrevista de desligamento é uma verdade absoluta? Não. É necessário saber filtrar as informações relevantes e aquelas que podem ser apenas um desabafo.

É comum que um funcionário desligado queira desabafar, e tudo bem! Ele pode fazer isso e você deve ser receptivo. Mas quando falamos sobre as informações que servirão para gerar relatórios, os desabafos não entram na equação!

Sendo assim, é necessário filtrar aquilo que faz sentido e aquilo que pode, talvez, ser apenas uma mágoa ou uma impressão totalmente pessoal.

Perguntas a serem feitas em uma entrevista de desligamento

E quais perguntas devem ser feitas?

Há uma grande variedade de perguntas que podem ser feitas em uma entrevista de desligamento. Algumas são mais específicas e dependem muito do contexto da sua organização, mas, em geral, costuma-se perguntar:

  • Qual é o motivo da sua saída da empresa?
  • Como era o relacionamento com seus colegas?
  • Como era o relacionamento com seus gestores?
  • Como você se sentia no seu ambiente de trabalho?
  • Você acha que poderíamos melhorar a estrutura física da empresa? Como?
  • Você encontrou dificuldades nas ferramentas para a realização do seu trabalho, como softwares ineficientes ou processos mal elaborados?
  • Quais os pontos que você pensa que deveríamos melhorar?
  • Quais os pontos positivos que você encontrou em trabalhar na empresa?
  • Qual é a sua opinião sobre o salário e os benefícios oferecidos pela empresa?
  • Você acha que a comunicação interna era eficiente?
  • Houve algum empecilho que possa ter impedido seu crescimento na empresa?
  • Qual a sua opinião sobre os programas de treinamento e desenvolvimento?
  • Qual é a sua opinião sobre a qualidade do nosso produto?
  • Você tem algum comentário a fazer sobre o trabalho desenvolvido pela área de Recursos Humanos?
  • Você tem alguma recomendação em relação ao seu setor ou à empresa como um todo?
  • Você voltaria a trabalhar conosco? Por quê?
  • Há mais alguma opinião que você gostaria de compartilhar antes de encerrarmos a nossa conversa?
diagnostico-gestao-experiencia-do-colaborador-CTA

E depois da entrevista de desligamento?

É claro que o trabalho não termina na entrevista, afinal, você deve trabalhar com os dados obtidos e com a experiência do colaborador. Sendo assim, preste a atenção nos seguintes pontos:

Ofereça suporte

Por uma questão de responsabilidade social, é importante oferecer suporte ao colaborador desligado. Há diversas formas de fazer isso: a mais popular é fazer uma carta de recomendação. Mas você também pode fazer um outplacement, ajudando na elaboração de um currículo, no networking, etc.

Colete os dados

Apenas uma entrevista não é suficiente para tirar conclusões sobre nenhum aspecto organizacional. Entretanto, depois de realizar uma porção de entrevistas de desligamento, você pode começar a gerar estatísticas baseadas nos dados coletados.

É com base nas entrevistas que você poderá identificar pontos negativos citados com frequência e os principais motivos que levam um colaborador ao desligamento.

Invista em ações de melhoria

E depois de identificar os pontos negativos mais frequentes, está na hora de criar ações de melhoria. Há uma série de fatores que podem ser levados em conta na hora de reduzir o número de desligamentos, e temos um post inteiro dedicado a esse assunto!

Não deixe de ler para saber como calcular e diminuir o índice de rotatividade. Lá você vai encontrar algumas dicas valiosas de melhorias a serem implementadas. Boa leitura!

Se desejar, você pode acessar nosso exemplo de ficha de entrevista de desligamento — basta clicar na imagem ou fazer o download gratuito clicando no botão abaixo!

Baixar ficha em PDF

Entrevista de desligamento

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários
Show Buttons
Hide Buttons