Curva do esquecimento: entenda de uma vez por todas a importância das revisões

Receba nossas novidades
Newsletter

Você já teve dificuldade de memorizar algo que aprendeu? Isso acontece porque, para que o seu cérebro armazene e processe determinado conteúdo, é necessário que ele seja revisado.

Enquanto você lê este post, está sendo afetado pela curva do esquecimento. Este é um conceito criado pelo psicólogo alemão Hermann Ebbinghaus (1850 – 1909) que impacta o dia a dia de todos.

Entender este conceito quando se trata de gestão de pessoas irá auxiliar no gerenciamento da eficiência produtiva e no processo de aprendizagem dos colaboradores. Neste post iremos abordar:

Você pode seguir o texto na ordem ou pode escolher o tópico que mais interessa pelo índice acima.

Confira também esse texto sobre Curva de aprendizagem: aprimore facilmente com 6 dicas simples

O que é curva do esquecimento?

Conceito criado em 1885 por Hermann Ebbinghaus, psicólogo alemão pioneiro em estudos da memória, curva do esquecimento aponta que quanto mais o tempo passa, mais nos esquecemos do que foi estudado.

O psicólogo desenvolveu uma representação gráfica da relação entre a retenção de informações adquiridas e o tempo em que elas permanecem em nossa memória:

Curva do esquecimento Hermann Ebbinghaus

Estudo de Hermann Ebbinghaus

O psicólogo alemão realizou testes em si mesmo memorizando uma série de listas e sílabas sem nenhum sentido como ret, roh, ciq e paf, para entender por quanto tempo elas se fixavam em sua mente.

A partir destes estudos, Ebbinghaus concluiu que após um dia de memorização o conhecimento retido era de apenas 67% e assim por diante.

Curva do esquecimento estudo de Ebbinghaus

Os estudos comprovam que o cérebro tende a levar as informações ao esquecimento, independentemente de quais sejam.

Continue lendo para entender por que este fenômeno acontece e como driblar a curva de esquecimento.

Por que a curva de esquecimento acontece?

Assim que terminamos de estudar e assimilamos algum assunto, retemos 100% das informações em nossa memória. Contudo, ele não é capaz de manter todas as informações retidas na memória, pois ficaria sobrecarregado. Para evitar isto, o cérebro se desfaz de informações de forma gradual ao longo do tempo.

O nosso cérebro funciona como um grande computador e aqueles arquivos que não estão sendo mais “visitados” acabam na lixeira, sendo descartados permanentemente um tempo depois.

Isso significa que quanto menos um conteúdo for visto, menos relevante ele será para o cérebro. Para driblar estes efeitos é necessário estimular a memória ao longo do tempo para que as informações não sejam descartadas.

Como utilizar a revisão para driblar a curva de esquecimento

As revisões funcionam como lembrete para o cérebro de que aquela informação que está sendo estudada precisa ser guardada. Contudo, existe uma metodologia adequada para a realização destas revisões.

Confira a seguir quais são os momentos mais adequados para realizar revisões.

Como utilizar a revisão para driblar a curva do esquecimento

Atitudes práticas para minimizar os efeitos da curva de esquecimento em treinamentos corporativos

Para que um treinamento corporativo tenha sucesso, é necessário que ele entregue resultados. Não adianta de nada investir em treinamentos se os colaboradores não conseguirem reter as informações para aplicá-las quando necessário.

Para entender melhor, o processo de aprendizagem deve ocorrer de duas maneiras:

  1. Recorrência: os conteúdos devem ser vistos mais de uma vez.
  2. Intensidade: as experiências com os conteúdos devem ser marcantes.

É justamente por isso que a aprendizagem não deve ser um evento único, é necessário que o conteúdo seja relembrado e reforçado na mente dos colaboradores.

Contudo, é necessário destacar que este processo deve ser inovador, sendo importante criar maneiras diferentes de abordagem para o mesmo assunto.

As metodologias de aprendizagem podem ser divididas em metodologias ativas e passivas.

Cone de aprendizagem

Para que o aprendizado ocorra de forma eficaz, é importante abordar ambas as metodologias, fazer intervalos de tempo e utilizar de recursos que prendam a atenção do colaborador.

Por exemplo, iniciar o processo com o e-learning, realizar uma palestra sobre o assunto, simular uma experiência real e finalizar com um quiz, seguindo os intervalos de tempo abordados anteriormente nas revisões.

Agora que você já sabe o que é curva de esquecimento e como minimizar os efeitos desse fenômeno em treinamentos corporativos, que tal conferir o e-book sobre como implantar práticas de treinamento e desenvolvimento na sua organização? Baixe gratuitamente clicando no banner abaixo!

E-book Como implantar práticas de treinamento e desenvolvimento na sua organização

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Comentários
Show Buttons
Share On Facebook
Share On Twitter
Share On Linkedin
Contact us
Hide Buttons