Cultura de aprendizagem: 16 dicas para implantar na sua empresa

Receba nossas novidades
Newsletter
Cultura de aprendizagem

Você já deve ter ouvido falar que, hoje em dia, as mudanças constantes no mercado exigem agilidade das empresas. Agora, você sabia que isso se aplica também ao conhecimento? É por isso que já não basta esperar que o colaborador realize uma graduação, por exemplo, e limitar-se a isso para sempre. A empresa precisa criar uma cultura de aprendizagem constante, para que o conhecimento siga se renovando e se adaptando às mudanças.

Nesse post, vamos te ensinar tudo sobre cultura de aprendizagem: provaremos sua importância e vamos te ajudar a colocá-la em prática na sua organização. Vamos começar?

O que é cultura de aprendizagem?

Cultura de aprendizagem é um tipo de cultura corporativa que valoriza a constante aquisição de conhecimentos. Isso é fundamental no mundo de hoje, no qual as mudanças frequentes exigem renovação do aprendizado.

Contudo, uma mudança na cultura não é algo tão simples de fazer. Não basta dizer “a partir de hoje, temos uma cultura de aprendizagem!” e esperar que ela se torne uma realidade na organização. Como você pode ver nessa imagem, a cultura é definida por uma série de fatores enraizados no comportamento da organização:

Iceberg da cultura organizacional

Implementar uma cultura de aprendizagem exige mudança de pensamento e de práticas, para que a sua empresa realmente tenha a aprendizagem contínua como algo intrínseco a ela. Mas afinal, por que essa cultura é tão importante? Quais benefícios ela traz para uma empresa? Vamos conferir:

Benefícios da cultura de aprendizagem

Propicia a inovação

Segundo os especialistas da Euax Consulting, inovação pode ser definida comoalgo diferente que aumenta a performance.” Essa definição é muito boa, pois deixa claro que inovação não está atrelada necessariamente ao produto, como alguns pensam. É possível inovar nos processos, no modelo organizacional, na marca etc. E a chave para a inovação é a ampliação do conhecimento!

Empresas com uma cultura de aprendizagem constante criam o cenário perfeito para o surgimento de ideias inovadoras e novas formas de fazer acontecer.

Ajuda a empresa a se manter relevante no mercado

Vivemos em um mundo onde novas metodologias, tecnologias, práticas e tendências surgem o tempo todo. O mercado está em constante mudança, e é só através da renovação dos conhecimentos e da inovação que uma empresa pode se manter relevante nesse cenário.

Aumenta o valor financeiro da empresa

O valor de mercado de muitas empresas aumenta graças ao seu capital intelectual, formado pelos processos, recursos humanos, sistemas e pelo conhecimento contido nesses recursos.

Quando bem gerenciado e aplicado, o conhecimento gera valor financeiro para a empresa e garante seu sucesso no mercado.

Ajuda a entregar serviços melhores

Uma cultura de aprendizagem garante colaboradores mais capacitados, o que, por sua vez, gera melhoria nas operações e ajuda a empresa a entregar serviços melhores para o cliente final.

São muitos benefícios, não é mesmo? Então, agora que você já entendeu a importância dessa cultura, vamos direto ao ponto: confira a nossa seleção de 16 dicas para que a sua empresa possa estabelecer uma cultura de aprendizagem de uma vez por todas!

16 dicas para implantar uma cultura de aprendizagem na sua organização

1 – Incentive a comunicação

Engana-se quem pensa que a aquisição e compartilhamento de informações acontece apenas em eventos e treinamentos. Na verdade, é nas conversas do dia a dia que a maior parte do conhecimento é transmitido.

Só que, em empresas nas quais a comunicação entre os colaboradores é pequena ou inexistente, fica difícil aprender nessas pequenas interações diárias, não é mesmo?

É daí que vem a importância de garantir a comunicação entre os membros dos mais diversos times, especialmente em tempos de home office! Nada de deixar cada colaborador isolado em casa sem contato com ninguém, hein! Ferramentas como o Skype e plataformas de videoconferências estão aí para ajudar a manter as pessoas conectadas e interagindo.

E as conversas não precisam ser apenas sobre trabalho. É fundamental que os colaboradores se acostumem a conversar com os colegas, deem aquela pausa para o café e compartilhem suas experiências. Sem isso, será muito mais difícil implementar uma cultura de aprendizagem.

2 – Faça gestão do conhecimento

Gestão do conhecimento é uma série de práticas que a organização adota para criar, gerenciar e transferir conhecimento entre os colaboradores. Na prática, ela ajuda a garantir que novos conhecimentos serão adquiridos e que eles não ficarão concentrados em uma única pessoa, mas compartilhados entre os colaboradores.

Adotar essas práticas é fundamental para a criação de uma cultura de aprendizagem, para que novos conhecimentos sejam adquiridos e de fato internalizados na empresa.

3 – Capacite os multiplicadores internos

Multiplicadores internos são os profissionais que compartilham seu aprendizado, e são peça importante da gestão do conhecimento. É preciso identificar os colaboradores que mais possuem esse potencial e capacitá-los, ensinando técnicas de didática, oratória, formatos de interação com os aprendizes etc.

4 – Faça reuniões de repasses

Além do conhecimento compartilhado nas conversas do dia a dia, também é importante ter momentos específicos para isso. Possuir um dia da semana específico para repasse de conhecimentos, por exemplo, pode ajudar nessa missão.

Assim, em cada reunião dessas um colaborador tem a oportunidade de apresentar para o time aquilo que aprendeu em uma palestra, curso, workshop ou mesmo na prática. Legal, não é?

5 – Horizontalize as relações

Algumas empresas relatam dificuldades em garantir o compartilhamento de conhecimento entre colaboradores. Isso porque, em culturas de alta competitividade, um colaborador pode sentir que seu conhecimento é a única coisa que vai valorizá-lo como empregado. Outros fatores como medo do desligamento, personalismo e concentração de poder podem dificultar a implantação de uma cultura de aprendizagem.

Portanto, pode ser necessário mudar certos comportamentos enraizados na sua organização para efetivar uma cultura de aprendizagem. É preciso horizontalizar as relações, valorizando o colaborador que compartilha seu conhecimento e permitindo que ele ocupe novas funções a partir de suas novas experiências.

Afinal, quando o conhecimento não fica restrito a um único profissional, outras pessoas podem ocupar suas funções e ele pode partir para novos desafios dentro da empresa.

6 – Promoção horizontal e vertical

Nesse sentido, focar na promoção horizontal e vertical é imprescindível. Em uma cultura de aprendizagem, os colaboradores podem se movimentar entre cargos graças aos novos conhecimentos que adquirem. Assim, eles podem sempre aplicar na prática aquilo que aprendem.

Isso ajuda a manter os colaboradores motivados por novos desafios, tirando-os de tarefas repetitivas. Afinal, hoje em dia, os profissionais buscam carreiras múltiplas e não ficam muito tempo parados na mesma função.

Práticas como recrutamento interno e estruturar um plano de carreira para os profissionais são importantes aliadas aqui.

7 – Permita ao colaborador aprender além do cargo atual

Em um discurso para a Universidade de Stanford em 2005, Steve Jobs comentou sobre uma aula de caligrafia que teve há anos. Na época da aula, ele não entendeu muito bem como aquilo faria diferença em sua vida, mas, anos depois, ela viria a influenciar o design do primeiro Mac.

Percebe como até os conhecimentos que, em um primeiro momento, parecem não ser tão úteis, podem fazer muita diferença?

Pois bem. Muitas empresas limitam o aprendizado do colaborador a coisas relacionadas ao seu cargo atual. É comum ver organizações que oferecem auxilio educação, por exemplo, mas só se o curso estiver relacionado à posição que o profissional ocupa hoje na empresa. Isso é um erro!

É fundamental que você incentive todo tipo de aprendizado. Isso vai permitir que o colaborador aplique conhecimentos de outras áreas em seu cargo atual e também que mude de cargo e ocupe novas posições.

8 – Permita o erro

Baixa tolerância a erros e cultura de aprendizagem são coisas que não combinam. Em uma cultura de aprendizagem, os colaboradores têm direito sim a testar e errar. Empresas que condenam qualquer tipo de erro precisam rever sua cultura nesse sentido se quiserem focar no aprendizado.

9 – Contrate pessoas dispostas a aprender

A criação de uma cultura de aprendizagem também inclui rever os critérios de contratação. Às vezes, um candidato pode não saber de tudo, mas demonstra grande vontade e capacidade de aprender.

Nessa cultura, profissionais assim são valiosos, pois eles podem aprender no contexto da sua organização e ainda buscar novos conhecimentos por conta própria, agregando muito às equipes.

Pessoas que viajam, leem, experimentam e inovam são exatamente o tipo de profissional que buscamos em uma cultura de aprendizagem.

10 – Estabeleça metas de aprendizado

Quem é contratado na empresa de tecnologia do Reino Unido Deltek já se depara com um comprometimento sério: dedicar pelo menos 40 horas anuais ao aprendizado. Isso incentiva os colaboradores a buscar conhecimento externo, seja por meio de cursos livres, graduações e pós-graduações, palestras, workshops etc.

Você pode premiar os colaboradores que atingirem a meta de aprendizagem com mimos especiais, como vouchers para restaurantes, viagens e até bonificação salarial.

11 – Crie parcerias com instituições de ensino

Parcerias com instituições de ensino podem te ajudar a conseguir descontos e bolsas de estudo para os colaboradores da sua empresa. Isso vai ser benéfico para todos os envolvidos: os colaboradores poderão fazer o curso dos sonhos com descontos significativos, as instituições vão ganhar mais alunos e a sua empresa vai usufruir de todo o conhecimento adquirido.

Além disso, esse tipo de benefício ajuda a engajar os colaboradores na sua empresa, evitando o turnover.

Se quiser saber como está o turnover da sua empresa, utilize nossa calculadora:

12 – Crie programas de mentoria

Programas de mentoria permitem que colaboradores mais novos e com perfil júnior aprendam com os que são mais antigos e possuem perfil sênior.

A mentoria é muito mais do que um treinamento pontual. Na verdade, trata-se de desenvolvimento a longo prazo.

Cabe ao mentor ensinar, aconselhar e revisar as entregas do aprendiz. A relação deve ser como uma parceria, na qual o mentorado pode confiar no mentor para ensinar as técnicas da profissão com didática alicerçada a prática de feedbacks frequentes.

13 – Líderes são exemplos

Líderes são exemplos. Não deixe de treinar os gestores para que eles não apenas incentivem a equipe a buscar conhecimento, mas também busquem conhecimento por conta própria e compartilhem com seus subordinados.

Cabe aos líderes valorizar os membros da equipe que buscam conhecimento e garantir que as práticas dessa nova cultura serão, de fato, aplicadas no cotidiano dos times.

14 – Monte Squads para solução de problemas

Squads são equipes multidisciplinares que atuam na resolução de um problema específico. Esse formato de equipe propicia a troca de conhecimentos entre profissionais de diversas áreas, já que eles trabalham juntos no mesmo time.

É uma oportunidade de colocar um profissional de marketing, de desenvolvimento, de vendas e de RH, por exemplo, para trabalharem juntos em prol de um objetivo comum e aprenderem uns com os outros.

Se quiser saber mais sobre o tema, confira essa conversa que tive com Daniel Mathias, Senior Manager of Digital Innovation na Natura&Co:

15 – Dê feedbacks

Uma cultura de aprendizagem está diretamente ligada à pratica de feedbacks. Os feedbacks ajudam os profissionais a aprenderem com seus erros e acertos, e são indispensáveis para a evolução do colaborador.

Em algumas empresas, os gestores dão pouco ou sequer dão feedback. Fuja disso: busque dar esses retornos com frequência para guiar o colaborador para o sucesso.

16 – Tenha uma universidade corporativa

Por fim, é indispensável ter uma universidade corporativa com cursos e trilhas de aprendizagem, para que os colaboradores possam ampliar e aperfeiçoar seus conhecimentos. Criar uma UC é a melhor forma de firmar de uma vez por todas a cultura de aprendizagem na sua organização, pois assim a empresa terá uma estrutura focada especialmente no treinamento e desenvolvimento profissional.

Para saber tudo sobre a criação e implantação de uma universidade corporativa, leia já nosso e-book sobre o tema! Nele, explicamos todos os benefícios que uma UC pode trazer para a sua empresa e ainda damos várias dicas testadas e aprovadas pelos nossos especialistas para garantir o sucesso desse empreendimento. Clique no banner abaixo e faça o download gratuito!

E-book Universidade Corporativa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários
Show Buttons
Hide Buttons