competências comportamentais

Quando uma empresa que faz a seleção por competências decide contratar um novo colaborador, ela analisa as competências técnicas e comportamentais dos candidatos. Afinal, é preciso garantir que o novo colaborador realmente irá se adequar ao seu posto de trabalho. Mas o que seriam essas competências ligadas ao comportamento? Neste artigo vamos desvendar as competências comportamentais e te contar quais são as mais valorizadas atualmente pelas empresas.

Boa leitura!

O que são Competências Comportamentais?

Competências Comportamentais são as atitudes e comportamentos dos colaboradores, que os motivam a colocar em prática a habilidade de um determinado conhecimento, contribuindo assim para a realização do trabalho.

As competências comportamentais não podem ser adquiridas em cursos profissionalizantes ou outros tipos de educação tradicional, apenas por meio do autodesenvolvimento. Essas competências estão ligadas aos comportamentos, atitudes e sentimentos de uma pessoa, tanto no ambiente social como no empresarial, e podem determinar se um profissional é adequado ou não para determinado papel.

Um gestor pode ter maior controle do rendimento de sua equipe quando entende como cada membro se comporta. Assim, ele consegue encaixar cada colaborador na função mais promissora e adequada às suas competências. Entretanto, quando uma empresa sente falta de uma determinada competência e não possui nenhum colaborador que a domine, o mais adequado é recorrer a um processo seletivo por competências.

Mas para realizar esse tipo de seleção baseada em competências, a empresa precisa mapear quais são as competências imprescindíveis para seu sucesso e, a partir disso, determinar quais competências ainda faltam na organização. Dentre as competências que geralmente entram nessa lista selecionamos as 12 principais! Confira:

competências comportamentais

As 12 Competências Comportamentais mais valorizadas pelas empresas

1. Liderança

Para ser um líder não é preciso necessariamente ser um gestor. Um líder deve assumir riscos e se responsabilizar por suas atitudes, conhecendo os pontos positivos e os pontos a melhorar na equipe e em si mesmo. É ser um porta-voz, motivando e influenciando as pessoas com quem trabalha a alcançarem seus objetivos.

Leia também  O que é e como fazer Gestão de Competências

2. Trabalho em equipe

Quando todo time se envolve para alcançar seus objetivos, nenhum membro da equipe se sobrecarrega e o trabalho se torna mais produtivo e com maior chance de sucesso. Por esse motivo, as organizações buscam colaboradores que saibam trabalhar em equipe.

3. Motivação

Motivação tem a ver com o motivo pelo qual uma pessoa realiza uma ação. Ou seja, a motivação é algo que, apesar de poder ser estimulado por fatores externos, é um comportamento genuinamente interno. Sendo assim, as empresas buscam por colaboradores que possuam uma pré-disposição a executar o trabalho. Pessoas motivadas trabalham felizes e comprometidas.

4. Equilíbrio emocional

Ninguém gosta de trabalhar ao lado de alguém que está todo dia de mau humor. Para um colaborador, saber controlar as emoções, o estresse, a ansiedade, e separar a vida pessoal da profissional é importante para manter a produtividade.

5. Criatividade

Não é apenas voltada ao lado artístico, mas também a pensar fora da caixa em qualquer situação. É analisar todos os aspectos ao seu redor para encontrar soluções rápidas e inovadoras. Ser criativo é ter pensamento visionário e que acrescenta ideias à organização de forma ousada para obter bons resultados.

6. Adaptabilidade

Adaptabilidade é ter a capacidade de ser flexível em qualquer ambiente, se adaptando às mudanças que podem ocorrer na equipe ou na empresa. É saber contornar situações inesperadas e conviver com as diferenças, encontrando formas de crescer até mesmo nas situações incômodas.

7. Comunicação

Comunicação é saber transmitir seu pensamento de forma clara e objetiva. Não é o diálogo em si, mas a boa oratória, a dicção e o vocabulário bem construído. Uma boa comunicação entre um colaborador e seus colegas de equipe diminui o risco de falhas e aumenta a produtividade.

8. Negociação

Negociação é saber resolver conflitos internos através do diálogo tendo como objetivo o sucesso da corporação como um todo. Saber negociar é saber balancear todas as ideias e fatores envolvidos, visando chegar a um determinado objetivo.

9. Empatia

Empatia é basicamente se colocar no lugar do outro. O colaborador deve tentar compreender o ponto de vista dos colegas, entendendo como se comportam, quais são seus sentimentos e emoções. Um profissional que tem empatia ajuda as pessoas com seus problemas e toma decisões pensando também no impacto que elas terão nas outras pessoas.

Leia também  O que é e como fazer Mapeamento de Competências

10. Aprendizado contínuo

Um profissional nunca pode se contentar com o conhecimento que tem. Ele precisa estar sempre em busca de cursos, palestras, workshops, experiências e qualquer tipo de aprendizagem que possa aumentar seu desempenho.

11. Ética

Ter ética é agir com responsabilidade social. Um profissional qualificado tem ética e moral, sabe diferenciar o certo do errado, age com integridade e colabora com a equipe.

12. Prudência

O colaborador prudente analisa todas as possibilidades, descobrindo o que pode acontecer a cada passo, sem colocar a carroça na frente dos bois. É pensar em todos os aspectos antes de uma atitude que pode afetar seu projeto ou a própria empresa.

Mas como identificar se uma pessoa possui essas competências comportamentais? Continue lendo e saiba a resposta!

competências comportamentais

Como identificar as competências comportamentais?

Existem diversos métodos usados para identificar as competências comportamentais em uma pessoa. Dentre os mais usados está o teste de perfil comportamental dos animais. Neste teste, normalmente guiado por um coach, o colaborador responde um questionário com diversos adjetivos ou frases e escolhe os que mais o definem. Ao final do teste, ele será encaixado em uma definição, podendo ser analítico (lobo), relacional (gato), experimental (águia) ou controlador (tubarão).

Para responder as questões, o colaborador é influenciado diretamente por seu comportamento, suas motivações, crenças e valores. Os resultados se dividem entre os perfis comportamentais que são ilustrados por quatro animais. São eles:

  • Tubarão: são as pessoas proativas, focadas em agilidade e rapidez na resolução de problemas. Uma de suas principais competências comportamentais é a liderança. Essas pessoas preferem trabalhar sozinhas, podendo ser um pouco arrogantes aos olhos dos colegas. Por esse motivo, um ponto a melhorar neste perfil é a habilidade de trabalhar em equipe;
  • Lobo: são os profissionais pontuais e organizados, corretos e previsíveis. Como principais competências comportamentais deste perfil estão a ética e motivação. Apesar da dificuldade em se adaptar a mudanças, sendo esta, uma das competências a melhorar.
  • Gato: são as pessoas motivadas e empáticas. Gostam de resolver conflitos, mantendo o ambiente empresarial agradável. Adoram trabalhar em equipe e se sentirem reconhecidas, pois se importam muito com as opiniões dos que estão à sua volta;
  • Águia: são as pessoas intuitivas e criativas, com ampla visão de futuro. São pessoas flexíveis, mas podem ser impacientes e ter dificuldade em lidar com regras. Para se aprimorar, devem focar no presente e controlar a rebeldia.
Leia também  Como aplicar o Desenvolvimento de Competências em uma empresa?

Parece muita coisa, né? Mas tudo isso é importante para conhecer as competências comportamentais de um colaborador. Pode-se dizer que não existem competências melhores ou piores, apenas as competências certas para os cargos certos.

Quer saber mais sobre como escolher o profissional certo para a sua organização? Confira nosso post com tudo para fazer gestão por competências na sua empresa e mensurar os resultados. Boa leitura!

Kátia Fernandes

Sócia do Twygo e Sócia Consultora da Euax Consultoria, é bacharel em Administração de Empresas e Especialista em Gestão Financeira, Controladoria e Auditoria pela FGV. Atua há mais de 8 anos nas áreas de Finanças, Marketing, RH e em projetos envolvendo Estratégia, Projetos e Processos.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *