Capital intelectual

Foi-se o tempo em que não era necessário investir na educação dos colaboradores de uma empresa. Atualmente, as empresas investem massivamente na formação intelectual dos seus profissionais, para que sejam mais autônomos e capazes. Ainda assim há receios e dúvidas em relação a esse tipo de investimento. Sendo assim, decidimos esclarecê-las nesse post para que você possa gerar valor para a sua empresa através de conhecimento. Siga lendo o post e descubra todos os detalhes sobre capital intelectual.

O que é capital intelectual?

Capital intelectual diz respeito ao valor gerado pelo conhecimento disponível dentro de uma organização.

O Capital Intelectual representa a junção de três tipos de capital:

  • Capital Interno: processos, modelos, conceitos, sistemas informacionais e administrativos.
  • Capital Externo: lealdade dos clientes, fornecedores, imagem da marca, etc.
  • Capital Humano: habilidades dos trabalhadores da empresa, experiências e valores.

Richard Donkin, em artigo publicado no Financial Times, observa que o valor de mercado (na bolsa de valores) de muitas empresas está aumentado muito em relação ao seu valor contábil (patrimonial) porque o valor de mercado está sendo medido em termos da capacidade de exploração do seu conhecimento. Isso é corroborado por Edvinsson & Malone, que afirmam que um dos responsáveis por essa diferença é o investimento em capital intelectual.

Gerenciar o capital intelectual

Por que investir em capital intelectual?

Alguns gestores têm uma ideia equivocada em relação aos investimentos em conhecimento. O principal receio é de que sejam oferecidas capacitações a um colaborador e, logo depois, ele se desligue da empresa e leve esse conhecimento para um concorrente. Mas, muito pior do que ter esse cenário é manter profissionais não capacitados que não geram nenhum retorno para a sua empresa. Sendo assim, investir na formação dos colaboradores possui muito mais benefícios do que malefícios. Citamos dois deles abaixo:

Valorização dos colaboradores

Ao criar uma política de valorização do conhecimento, a empresa passa a investir nos seus colaboradores e os mantém motivados a evoluir cada vez mais. Desenvolver os colaboradores torna-os mais satisfeitos com o trabalho e com a empresa, e permite que os mesmos cresçam no negócio, evitando desligamentos.

Leia também  Indicadores de gestão de pessoas: quais acompanhar?

Redução na taxa de turnover

Não é nada lucrativo perder colaboradores e ter que contratar e treinar novos. Por isso, investir em capital intelectual e gerenciá-lo corretamente pode te ajudar a reduzir sua taxa de turnover.

Desta forma, a demissão de colaboradores que não sabem realizar certas tarefas passa a não ser mais necessária. É muito mais benéfico para ambas as partes desenvolver competências desses colaboradores que já fazem parte da empresa, para que se tornem capazes, diminuindo a rotatividade.

Vale lembrar que o investimento em capital intelectual é um investimento de retorno a longo prazo, pois depende de um processo de amadurecimento intelectual dos colaboradores.E-book gestão por competências

Como gerenciar o capital intelectual da sua organização?

Fornecer capacitação

Entende-se por capacitação o ato de tornar alguém capaz, ou seja, habilitar alguém de modo que o profissional compreenda e desenvolva suas tarefas com grande eficiência e autonomia.

Os primeiros passos para desenvolver uma capacitação são identificar as necessidades, priorizá-las e ensinar a equipe, seja para haver ampliação de conhecimento já existente ou desenvolvimento de novos. Esse aprendizado pode ocorrer, por exemplo, no próprio ambiente de trabalho.  O uso da tecnologia pode ser um aliado importante nesse caso, tanto para realizar capacitação, quanto para armazenar o capital Intelectual da empresa.

Fazer a gestão do conhecimento

A gestão do conhecimento é um conjunto de práticas que tem como objetivo gerenciar e transferir conhecimento entre os membros das equipes, além de favorecer o surgimento de práticas inovadoras.

Por exemplo: em uma empresa, um colaborador é o único que sabe realizar determinada atividade. Quando ele precisa se ausentar, todo o resto da equipe fica dependente da espera por seu retorno para que tal atividade possa ser concluída, já que aquele é o único que sabe como executá-la. Isso é um problema bem comum nos ambientes empresariais, mas que pode ser evitado com a gestão do conhecimento.

A gestão do conhecimento tem como objetivo promover a troca de informações entre todos os colaboradores da organização, registrando também todos os conhecimentos formalmente, para que essas informações se tornem algo comum, acessíveis, e parte do patrimônio da empresa.

Leia também  Indicadores de gestão de pessoas: quais acompanhar?

Além disso, fazer gestão do conhecimento promove uma educação continuada dentro da empresa. Sabemos que o conhecimento é mutável e precisa estar em constante desenvolvimento e atualização e, nesse sentido, a educação continuada está relacionada ao processo de aprendizagem profissional contínua dos colaboradores.

Fazer gestão do conhecimento é indispensável para qualquer organização disposta a investir em capital intelectual. Se quiser saber tudo sobre isso leia o post o que é gestão do conhecimento e como implementar na sua empresa.

Implantar uma universidade corporativa

É impossível falar sobre capital intelectual sem falar sobre universidade corporativa (UC).

Universidade Corporativa é, como o próprio nome sugere, uma instituição educacional empresarial, que tem como objetivo aprimorar os conhecimentos dos colaboradores e capacitá-los, sempre conforme os valores da organização.

Essa universidade pode ter uma estrutura física que funciona dentro da empresa, ou pode ter um funcionamento digital através de plataformas EAD.

Entre os benefícios experimentados com a criação de uma universidade corporativa estão a melhora na execução das tarefas e maior autonomia dos colaboradores, que passam a executar papeis importantes no desenvolvimento do negócio, pois uma universidade corporativa integra práticas como formação continuada, aprimoramento de competências, pesquisa interna etc.

Como a rotina de uma universidade corporativa é mais focada na prática do que na teoria, os cursos costumam ser realizados no horário de trabalho e não são muito longos, tendo, geralmente, algumas semanas de duração.

Se você se interessou pelo assunto, leia o nosso e-book Universidade Corporativa: o Guia Completo para saber tudo o que for necessário sobre as UCs.

E-book Universidade Corporatia: o Guia Completo!

Baixar material rico - Topo

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *