Avaliação 360: o que é, modelos e como aplicar

Receba nossas novidades

Ao enviar você está aceitando os termos da nossa política de privacidade

Avaliação 360

Você quer dar um feedback de performance, mas precisa da opinião de mais pessoas? Precisa desenvolver seus colaboradores, mas não sabe dizer exatamente em quais competências? Boas notícias, você pode fazer tudo isso através de uma avaliação 360 graus!

Ela é a forma mais completa de se fazer avaliação de desempenho porque traz as perspectivas de diversas pessoas que convivem com o avaliado.

Essa é uma ótima opção para descobrir quais as necessidades de treinamento e desenvolvimento dos seus colaboradores, além de trazer uma percepção mais realista do desempenho deles!

Por isso, neste texto vamos te ensinar tudo sobre os diferentes modelos da avaliação 360 e o passo a passo para aplicá-la na sua empresa. Aproveite as dicas!

O que é avaliação 360 graus?

Avaliação 360 graus é um tipo de avaliação de desempenho que leva em conta feedbacks de todas as pessoas com as quais o colaborador se relaciona no dia a dia de trabalho, como: subordinados, líderes, gestores, parceiros, clientes e colegas de equipe, além de sua autoavaliação.

Por isso o nome 360 graus, porque é uma avaliação vinda de todos os lados possíveis para trazer uma percepção mais completa do desempenho da pessoa.

Como funciona a avaliação 360 graus?

Geralmente são criadas algumas perguntas em um questionário, que irão servir de critério para avaliar o desempenho do profissional. Junto ao questionário, são sugeridas algumas opções de resposta como “sempre”, “quase sempre”, “às vezes”, “nunca”, e os avaliadores respondem ao questionário de acordo com a percepção que têm da pessoa avaliada.

Vantagens e desvantagens da avaliação 360 graus

A avaliação 360º, assim como tudo na vida, tem seus dois lados. Ela traz muitos benefícios, porém também pode atrapalhar mais do que ajudar em algumas situações.

Vantagens:

  • Traz informações mais completas sobre o desempenho da pessoa;
  • A avaliação contempla diversos pontos de vista (não é unilateral);
  • Motiva o colaborador a buscar desenvolvimento;
  • Ajuda a melhorar a performance;
  • Diminui conflito entre líder e colaborador, por ser uma prática coletiva;
  • Ajuda o colaborador a perceber seu desempenho e comportamento em diversas áreas;
  • Aperfeiçoa o plano de carreira.

Desvantagens:

  • Pode haver confusão e excesso de informações;
  • A avaliação pode não gerar uma conclusão para oferecer ao colaborador;
  • Pode gerar desconforto e insegurança nos avaliados;
  • A avaliação corre o risco de ser genérica e não refletir a situação específica do colaborador;
  • Pode ser demorada e ineficiente se não houver uma boa gestão e apoio de tecnologia;
  • Pode estar sujeita a feedbacks inverdadeiros, se algum participante quiser prejudicar o avaliado.

Como você deve ter percebido, as desvantagens são mais uma possibilidade do que uma certeza que irá acontecer em todas as empresas. Então lembre-se que elas podem ser minimizadas com uma boa gestão da avaliação.

Quais são os modelos de avaliação 360 graus?

Existem 3 principais modelos de avaliação 360 graus: enxuto, direto e complexo, vamos conferir no que consiste cada um deles:

1. Modelo enxuto

Esse modelo conta com apenas 3 opções de resposta: “sempre”, “às vezes” e “nunca”. Ele é chamado assim porque as perguntas geralmente são mais curtas e diretas, assim como as respostas. É muito comum separar os questionamentos por categoria, por exemplo:

Proatividade

  • O colaborador demonstra iniciativa de fazer o trabalho além do que foi pedido?

Compromisso

  • O colaborador entrega suas atividades dentro do prazo acordado?

Adaptabilidade

  • O profissional se adapta rapidamente a mudanças em suas atividades?

2. Modelo direto

Nesse modelo as respostas são mais específicas e as perguntas não se dividem por categorias.

Exemplo:

  • Possui as competências necessárias para desempenhar suas atividades?
  • Mostra-se disposto a ajudar os colegas de equipe?
  • Sente facilidade para enfrentar mudanças?

E as possibilidades de resposta podem ser “sempre”, “quase sempre”, “às vezes”, “pouco”, “nunca”.

3. Modelo complexo

Esse terceiro tipo de avaliação oferece 3 opções de resposta “sempre”, “às vezes” e “nunca”. Nesse modelo as perguntas também são feitas em categorias, mas com mais de uma pergunta por categoria. A ideia é fazer uma análise mais completa do avaliado.

Exemplo:

Qualidade

  • Entregas são feitas de acordo com o padrão exigido pela empresa?
  • O avaliado se mostra disposto a aperfeiçoar seu trabalho?

Comunicação

  • Possui comunicação clara e eficaz com o líder e colegas de equipe?
  • Consegue expor suas ideias de forma respeitosa?
  • Oferece feedbacks de forma competente e respeitosa?

Quais perguntas utilizar na avaliação 360 graus?

Proatividade

  • O colaborador mostra atitude de realizar atividades que não foram requisitadas?
  • Diante de problemas, o colaborador logo se dispõe a encontrar soluções?

Compromisso

  • O colaborador cumpre com todas as metas e prazos estabelecidos?
  • O colaborador comparece em todas as reuniões?

Organização

  • É capaz de organizar a sua rotina de trabalho para ser capaz de realizar suas tarefas?
  • Tem prioridades bem definidas?
  • Consegue equilibrar sua vida pessoal com o trabalho?

Comportamento

  • Mostra-se uma pessoa que recebe bem críticas e sugestões de melhorias?
  • Trabalha bem em equipe quando é necessário?

Competências

  • Executa suas atividades com o nível de qualidade esperado pela empresa?

Quem deve participar da avaliação 360 graus?

O intuito da avaliação 360 é trazer as perspectivas do maior número de pessoas que trabalham com o avaliado. Então não existe um número limite, você só precisa saber quem são essas pessoas que convivem diariamente com o colaborador e chamá-las para participar.

Ainda assim, de modo geral, algumas pessoas são comuns de aparecerem:

  • Avaliado
  • Líderes e gestores
  • Subordinados
  • Colegas de equipe
  • Parceiros
  • Clientes

Todas essas pessoas vão trazer visões complementares sobre o avaliado: a percepção dele próprio, a visão de cima para baixo (gestores), lateral (colegas, parceiros, clientes) e por fim, a visão de baixo para cima, dos seus subordinados.

Como aplicar a avaliação 360 graus?

Finalmente, vamos a parte que interessa, que é como produzir e aplicar a avaliação 360 graus na sua empresa. Vamos te ensinar com 4 passos simples, anote aí!

1. Planejamento

Aqui você vai por em prática o que ensinamos até aqui. É preciso analisar qual o contexto do colaborador avaliado: qual sua função, pessoas com quem convive mais no trabalho, e perfil profissional.

Depois disso, monte o formulário baseado no colaborador e no que você deseja descobrir sobre o desempenho dele e em seguida, escolha os participantes.

2. Orientação

Depois de montar a estrutura do questionário, é preciso chamar os participantes e explicar como e quando a avaliação vai ocorrer, bem como eles devem responder as questões.

Depois, é extremamente importante conscientizar o avaliado sobre a avaliação, frisando sua importância e colaboração. Afinal, a avaliação 360 também contempla a autoavaliação do profissional.

3. Aplicação

Nesse momento você vai aplicar a avaliação em si. É importante estar atento para que não haja nenhum tipo de complô contra o avaliado e para que os participantes entendam as questões e consigam oferecer respostas condizentes com a realidade.

Como qualquer tipo de avaliação, vai ser preciso o apoio tanto do rh quanto dos líderes das áreas para ajudar a guiar a iniciativa. Principalmente porque é 360 graus, então envolve mais gente do que uma avaliação mais simples entre gestor e colaborador.

4. Resolução

Por fim, é hora de apresentar o resultado da avaliação ao colaborador. Nesse momento o avaliado irá analisar as respostas e a partir disso, entender aquilo que está bom e o que precisa melhorar em seu desempenho.

E para que a avaliação 360 consiga ser cada vez mais eficaz, é importante que o rh colha feedbacks dos participantes sobre o processo. Assim, a prática pode ser aperfeiçoada continuamente.

Enfim, chegamos ao fim. Mas e aí, o que se faz depois de uma avaliação 360? Fica por isso mesmo? A resposta é não! Entenda o que você precisa fazer depois desse processo todo:

E depois da avaliação 360, o que fazer?

Como já te falamos a avaliação 360 serve para descobrir quais competências o colaborador tem e quais ainda precisa desenvolver para ser eficiente nas suas entregas.

Pensando nisso, a consequência óbvia é ir atrás de desenvolver essas competências. E como se faz isso? Com treinamento e desenvolvimento! É por meio dessas iniciativas que o profissional será capaz de se aperfeiçoar nos aspectos negativos que a avaliação apontou e se tornar um colaborador mais eficiente.

Se você quiser ajudá-lo nesse processo, baixe o nosso ebook que te ensina o passo a passo para implantar o treinamento e desenvolvimento na sua empresa! Com ele você irá aprender o caminho para capacitar seus colaboradores de forma eficaz. Clique no banner e baixe gratuitamente!

E-book Como implantar práticas de treinamento e desenvolvimento na sua organização

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Comentários
Show Buttons
Share On Facebook
Share On Twitter
Share On Linkedin
Contact us
Hide Buttons