Adhocracia: promova a cultura da inovação

Receba nossas novidades
Newsletter
Adhocracia

Uma das coisas que as empresas mais desejam hoje é acompanhar as mudanças que ocorrem a todo momento. Para sobreviver e manter a competitividade no mercado, é preciso encontrar um diferencial. A adhocracia é uma excelente opção para essa realidade que o mercado impõe às organizações, você sabe por quê?

Porque a adhocracia é um modelo perfeito para empresas que buscam simplificar e agilizar os processos, além de ajudar a desenvolver uma cultura ágil e adaptável às necessidades e demandas do mercado.

Quer saber mais sobre o assunto? Continue lendo, pois neste post trouxemos segredos que podem te ajudar na estruturação da sua organização.

O que é adhocracia?

Adhocracia é um modelo de gestão que visa simplificar os processos corporativos para proporcionar agilidade e flexibilidade dentro das organizações. Este modelo é baseado em grupos multidisciplinares (ou squads) temporários e adaptativos, com diversidade de conhecimentos e habilidades.

Tais grupos se reúnem para trabalhar objetivos específicos, desde a resolução de algum problema até a discussão de soluções para as necessidades do mercado ou modelos de negócio.

Com a simplificação dos processos e autonomia das equipes, as empresas alcançam mais rapidez para as soluções de problemas, pois ampliam as ideias e alternativas para determinados cenários de negócios.

Para ter uma boa ideia, precisamos de muitas ideias. E, para que tenhamos esse ambiente propício a geração de ideias, é importante incentivar e promover a cultura da inovação.  

A adhocracia propicia isso para as organizações porque funciona com a formação de equipes multidisciplinares, ou seja, grupos de pessoas com habilidades, competências e conhecimentos diferentes, mas complementares. Esses grupos de pessoas são reunidos para buscar soluções de problemas organizacionais fora dos padrões tradicionais de sistemas de trabalho e condução de atividades.

O-papel-do-EAD-na-industria-4.0-cta

Assim, a adhocracia usa formas mais flexíveis de governança, que podem ser criadas e transformadas rapidamente, de acordo com as oportunidades. O que pode tornar este modelo uma boa opção à tradicional departamentalização.

O surgimento da adhocracia

Adhocracia é um termo criado por Alvin Tofler e teve origem nas forças-tarefas militares para lidar com diferentes situações de forma rápida. Na época, já se falava em uma sociedade dinâmica e mutável, com organizações que necessitariam de inovação, temporariedade, ergonomia e anti-burocracia.

Podemos dizer que a adhocracia surgiu da necessidade que as organizações formais tinham de reconhecer, entender e resolver problemas complexos em ambientes mutáveis. O conceito foi criado para definir um sistema adequado a um mundo de rápidos avanços tecnológicos e da insatisfação da sociedade com a estrutura de autoridade em várias camadas, ou a chamada hierarquia.

O termo foi popularizado por Robert Waterman, no livro “Adhocracy – The Power to Change” ou “Adhocracia – O poder para mudar”.

Como a adhocracia funciona?

Menor hierarquia

Este modelo de gestão tende a ser muito menos hierárquico do que outras estruturas formais. O propósito da adhocracia é criar uma estrutura focada em resolver problemas específicos, muitas vezes urgentes, que outros tipos de estrutura não conseguiriam resolver na velocidade necessária.

Conta com especialistas

Uma organização que segue essa abordagem conta com especialistas técnicos treinados e preparados, para que consigam trazer soluções rápidas e verdadeiramente eficazes.

Grupos não fixos ou multidisciplinares

Os grupos de trabalho dentro de uma adhocracia não são fixos e são formados de acordo com as necessidades de cada situação. Para unir os conhecimentos e habilidades necessárias daquela situação específica.

Estamos ressaltando este ponto para destacar a temporalidade, pois o grupo de trabalho vai existir pelo tempo que for preciso para alcançar os objetivos que foram traçados, enquanto a formação estiver gerando as mudanças necessárias para a organização.

Burocracia e adhocracia

A burocracia é um modelo de gestão caracterizado por regras e procedimentos regularizados.  Este modelo defende a hierarquia, relações impessoais e a divisão das responsabilidades e especializações no trabalho. Sendo assim, é muito voltado para o comando e controle, por isso tende a deixar os processos, as rotinas e as pessoas mais lentos e menos criativos.

Assim, organiza grupos de pessoas que precisam trabalhar juntas. Mesmo que este modelo seja mais inflexível, a burocracia ajuda a garantir que as pessoas trabalhem em conjunto e sejam compatíveis com a definição de cada papel dentro de uma hierarquia.

É válido dizer que não precisamos apontar qual é a melhor forma de gerenciar, pois cada modelo funciona com eficácia nas respectivas necessidades de cada negócio. Uma prova disso é que existem empresas que trabalham tanto com a adhocracia quanto com a burocracia. Tudo depende do setor e a forma de trabalho.

Diferenças

Como citamos anteriormente, a adhocracia tem processos corporativos simplificados. A administração corporativa é muito ágil, a motivação dos colaboradores é pelo reconhecimento e o objetivo é oferecer recursos e liberdade aos profissionais. Além disso, geralmente, são corporações de tecnologia e que trabalham por projetos que aderem a adhocracia.

A burocracia é o oposto do que apresentamos. Este modelo trabalha com uma abordagem mais rígida e muito menos flexível que a adhocracia. De um modo geral, as organizações burocráticas motivam seus colaboradores por meio de recompensas extrínsecas, como reajustes salariais e bônus. E as corporações que geralmente aderem a burocracia são do setor público, onde é muito incomum encontrar a metodologia adhocrática nos processos.

Além dos pontos ressaltados acima, a adhocracia defende que os melhores colaboradores são aqueles que fazem acontecer. E não aqueles com a melhor capacidade de supervisão, como defende uma burocracia.

Para complementar, veja o quadro comparativo abaixo:

Características da adhocracia

Maior liberdade de decisão

 A adhocracia é caracterizada por privilegiar ações decisivas e mais intuitivas, ao invés de autoridade ou conhecimento formal. Ou seja, os profissionais possuem maior liberdade para agir e tomar decisões com base em suas competências e não somente em caminhos pré-estabelecidos por gestores. Por isso, este modelo é conhecido por ter o poder descentralizado: o gestor não é o único a tomar as decisões, pois dá autonomia aos colaboradores para que tomem decisões de acordo com a necessidade. Assim, o tempo para deliberação dentro das equipes é muito menor.

Você pode definir o que citamos acima como um processo de tomada de decisão experimental. Que significa cortar certas deliberações e experimentar novidades para ter um feedback rápido.

Coordenação por oportunidades

A coordenação gira em torno das oportunidades, isso quer dizer que os colaboradores são incentivados a iniciar novos projetos e a escolher em quais deles trabalhar. Assim, as equipes são formadas de forma espontânea, pois os colaboradores se unem a partir do desejo em comum de trabalhar em um projeto.

Ajustamento mútuo com inovações

Conforme as equipes dão seguimento aos objetivos, há ajustamento mútuo com inovações e ideias para criar soluções aos problemas dos clientes. É assim que outra característica forte da adhocracia entre em cena: o engajamento entre os colaboradores de forma orgânica com os projetos, e a tendência de agir ou gerar resultados mais rapidamente.

CTA-engajamento-de-colaboradores

Equipes temporárias

Outra característica importante a ser mencionada é a temporariedade das equipes, como já falamos, a formação é feita para projetos específicos. No final do projeto, as equipes são dissolvidas, refletindo a natureza de constante mudança da adhocracia. Isso faz a cultura adhocrática ser anti-burocrática.

Vantagens da adhocracia

  •  Criatividade organizacional;
  •  Aumento da qualidade e melhor desempenho nos resultados e soluções obtidos;
  •  Capacidade de inovação;
  •  Liberdade de ação para os funcionários;
  •  Soluções verdadeiramente eficazes e de curto prazo;
  •  Tarefas ajustadas a necessidades específicas;
  •  Mais rapidez e agilidade nos processos internos;
  •  Eliminação ou redução de burocracias que atrasam os resultados.

Desvantagens da adhocracia

  •  Dificuldade em manter comunicação;
  •  Eliminação da formalidade e documentação de processos de trabalho;
  •  Conflitos de interesses;
  •  Dificuldade em definir funções e papeis dentro da organização;
  •  Pode ter um alto custo para ser colocada em prática, de acordo com o nível de maturidade da organização.

Pelos pontos citados, a adhocracia pode não ser um modelo de gestão eficiente para atividades comuns e que precisam de processos bem definidos.

Agora os segredos da adhocracia foram desvendados! Mas a profundidade do assunto pode ir muito além do que você imagina! Quer saber mais sobre o tema? Assista ao nosso webinar e garanta que sabe tudo do assunto. Vamos traçar o melhor caminho de conteúdo para sua organização juntos.

webinar-adhocracia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários
Show Buttons
Hide Buttons