Absenteísmo

Atualizado em: 27 de agosto de 2020

Um número alto de faltas no trabalho é algo delicado e complicado de se resolver. O absenteísmo pode ocorrer devido a problemas de saúde, pessoais, problemas de relacionamento entre equipes e problemas da própria empresa em si.

Para entender melhor sobre esse assunto e saber a melhor forma de lidar com o absenteísmo na sua empresa, siga a leitura!

O que é absenteísmo?

No ambiente corporativo, absenteísmo diz respeito à ausência de colaboradores no trabalho, seja por causa de faltas ou por atrasos. Em outras palavras, absenteísmo é o ato de um colaborador abster-se das suas atividades.

As causas que levam ao absenteísmo podem ser doenças, acidentes de trabalho, fatores psicológicos e outros que dão o direito garantido por lei ao empregado para ausentar-se. Entretanto, problemas mais subjetivos como exaustão, falta de motivação e conflitos internos também podem levar um colaborador a ausentar-se de suas atividades mesmo sem amparo legal.

Taxas de absenteísmo muito altas na empresa podem indicar falhas maiores na organização e cabe à área de Recursos Humanos acompanhar essa taxa, analisar os casos e contornar o problema. Vamos nos aprofundar mais nesse assunto para entender as consequências do absenteísmo e como lidar com essa situação. Mas antes, você sabe o que a legislação diz sobre esse assunto?

Absenteísmo na legislação

A CLT garante ao trabalhador abster-se do trabalho em casos de:

  • Ausências justificadas por atestados médicos parciais ou integrais causados por doenças comuns, ocupacionais ou acidentes de trabalho;
  • Licença maternidade, paternidade ou aborto legal;
  • Falecimento de cônjuge, ascendente, descendente, irmão ou dependente;
  • Realização de prova de vestibular;
  • Cumprimento das exigências do serviço militar;
  • Entre outros.

Nesses casos, a empresa deve se atentar a problemas comuns de saúde entre seus colaboradores, pois eles podem estar relacionados a certos procedimentos no ambiente de trabalho, incluindo problemas psicológicos.

Fatores psicológicos garantem o direito ao trabalhador de se ausentar das atividades. A depressão é, atualmente, uma das principais causas do absenteísmo nas organizações, segundo a Organização Mundial da Saúde.

No caso de absenteísmo sem justificativa legal, as punições podem ser advertências, suspensão por até 30 dias ou, em casos mais graves, demissão por justa causa.

E-book gestão por competências

Entretanto, nem todos os casos de absenteísmo estão diretamente ligados aos problemas pessoais do colaborador. Às vezes, a raiz do problema está dentro da própria organização. Veja:

Problemas organizacionais

O clima organizacional e a forma como as operações ocorrem na empresa podem influenciar diretamente na taxa de absenteísmo. Nesse sentido, os seguintes motivos para ausência devem ser levados em conta:

Estresse

Ambientes de trabalho instáveis e desagradáveis e sobrecarga de atividades maçantes podem levar os colaboradores a desenvolver quadros de estresse. Esgotamento mental, cansaço constante, irritabilidade, ansiedade e alterações no sono são alguns dos sintomas que podem indicar estresse.

Esse estado pode desencadear problemas maiores, como depressão e Síndrome de Burnout. Além do aumento nas taxas de absenteísmo, a empresa pode ter um aumento na rotatividade de colaboradores, o que é muito ruim.

Falta de motivação

Quando uma empresa deixa de se preocupar em manter os colaboradores motivados, a taxa de absenteísmo tende a subir muito mais. Não oferecer oportunidade de crescimento dentro da empresa, não dar reconhecimento profissional ou feedbacks e deixar de promover um bom clima organizacional cria as condições para que o colaborador sinta cada vez menos vontade de trabalhar e, consequentemente, se torne menos produtivo e assíduo.

Vale lembrar que o problema da falta de motivação não atinge apenas os níveis operacionais da organização. Os líderes e gestores do negócio também podem se sentir desmotivados. Não deixe de ler nosso post sobre treinamento motivacional para saber como contornar esse problema, seja na alta gestão ou nos empregados.

Conflitos

A existência de conflitos internos frequentes pode ser mais um fator de desmotivação. Líderes autoritários, falta de comunicação entre colaboradores, assédio moral ou sexual e outros fatores podem minar o ambiente de trabalho e causar grande desconforto, aumentando as taxas de absenteísmo e diminuindo a produtividade.

Como calcular o absenteísmo?

Existem diversas formas de calcular o absenteísmo de uma empresa, sendo que a mais popular é a seguinte:

Horas de trabalho perdidas / (número de colaboradores x horas de trabalho) x 100

Ou seja, você deve somar todas as horas de trabalho que foram perdidas por atrasos ou faltas de colaboradores e dividir esse número pelas horas de trabalho totais que deveriam ter sido feitas na empresa. Multiplicando o resultado por 100, obtém-se uma porcentagem.

Calcular a taxa de absenteísmo é importante para que você possa obter, em números, um índice que represente fielmente a quantidade de horas de trabalho que estão sendo perdidas. Caso sejam necessárias ações para reduzir o absenteísmo na empresa, acompanhar essa taxa é fundamental. Assim, você consegue saber se tais ações estão ou não surtindo o efeito desejado.

Mas afinal, que ações podem ser tomadas para reduzir e evitar o absenteísmo em uma empresa?

Como evitar o absenteísmo

Como evitar o absenteísmo na minha empresa?

Mantenha o bom clima organizacional

Quando a empresa não se preocupa em manter um clima organizacional agradável e saudável, fica difícil manter o engajamento dos colaboradores.

Quando os profissionais não se sentem bem em seu ambiente de trabalho, eles terão menos satisfação com sua rotina, favorecendo o surgimento do absenteísmo. Logo, é importante realizar ações que evitem esse cenário.

Isso inclui realizar pesquisas de clima para diagnosticar o ambiente da organização nesse sentido e encontrar oportunidades de melhoria. Realizar treinamentos comportamentais também pode ajudar nesse sentido.

Como a cultura e o clima organizacional afetam a motivação das equipes

Crie uma cultura de feedback

Os feedbacks são um detalhe muito simples que podem motivar um colaborador e, às vezes, isso passa despercebido pelos gestores. O retorno sobre o desempenho do colaborador ajuda de diversas maneiras.

Quando o retorno é positivo, o colaborador sente que seu trabalho está sendo valorizando. Quando é negativo, o feedback deve ser construtivo para que o colaborador entenda onde houve falhas e possa evitar repeti-las futuramente.

Ofereça reconhecimento e benefícios

Além do feedback por si só, também é interessante valorizar o trabalho dos colaboradores com benefícios especiais. Quando um profissional se esforça em seu trabalho, é natural que ele espere ser reconhecido pelas conquistas empresariais e pelo trabalho bem-feito. Sendo assim, muitas empresas têm adotado políticas de reconhecimento que entregam “mimos” aos empregados

Entre os benefícios mais comuns, podemos citar promoções, day off, viagens e bonificação sobre metas batidas.

Flexibilize os horários

Para evitar o absenteísmo por faltas ou mesmo por atrasos, não é incomum ver horários flexíveis nas organizações. A flexibilização de horários permite que o colaborador trabalhe a quantidade de horas contratadas, mas sem a necessidade de chegar exatamente às 8h e sair às 18h, por exemplo.

O profissional pode, então, trabalhar a quantidade de horas contratadas no horário em que preferir. Isso ajuda a equilibrar a vida pessoal e profissional, evita atrasos (que, na prática, deixam de existir, pois não há um horário de chegada definido) e ajuda o colaborador a trabalhar no momento em que for mais conveniente, aumentando a produtividade e a motivação.

É claro que isso não se aplica a todas as empresas, pois, em alguns casos, é preciso que o colaborador esteja no trabalho em determinado horário. Mas, em outros casos, pode ser uma boa forma de manter os colaboradores satisfeitos com o trabalho.

Tenha um bom EVP

EVP ou Employee Value Proposition consiste na entrega de vantagens ao colaborador que trabalha na sua empresa. Um EVP pode incluir a criação de espaços de convivência na empresa, benefícios e convênios, clima descontraído, etc.

Quando uma empresa tem uma boa proposta de valor ao empregado, as chances dele se desmotivar e se ausentar são muito menores.

Se quiser saber mais sobre o EVP, leia nosso post completo sobre o assunto e aprenda como criar um bom employee value proposition para a sua organização.

Ofereça um plano de carreira consistente

Uma boa forma de engajar e motivar os colaboradores é oferecer oportunidade de crescimento dentro da organização. Caso contrário, os profissionais podem ter a sensação de que o trabalho não está sendo recompensado ou não está levando a lugar algum.

Para desenvolver um plano de carreira, é preciso ter em mente que os colaboradores devem ser capacitados. Para que um profissional possa ser promovido, não basta que ele tenha bastante tempo de empresa: é preciso que ele adquira novos conhecimentos para desempenhar novas funções. Por isso, se a sua empresa pretende implementar ou já implementou um plano de carreira, é indispensável pensar em um programa de treinamento e desenvolvimento.

Se você não sabe como criar um programa de T&D para a sua empresa, leia nosso post exclusivamente sobre esse assunto e entenda tudo sobre Treinamento e Desenvolvimento!

E-book Como implantar práticas de treinamento e desenvolvimento na sua organização

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *